sicnot

Perfil

Mundo

Mais de cem presos fogem de prisão em Pernambuco no Brasil

Mais de cem presos fugiram hoje de um estabelecimento prisional na zona oeste do Recife, na capital do Estado brasileiro de Pernambuco, tendo dois deles sido mortos, informou a imprensa local.

(Reuters / Arquivo)

(Reuters / Arquivo)

© Nacho Doce / Reuters

À primeira hora da tarde, um dos muros da prisão Frei Damião de Bozanno, que pertence ao Complexo Penitenciário de Curado, no nordeste do país, foi destruído por explosivos e dezenas de presos conseguiram escapar, segundo informou o Diário de Pernambuco, o mais importante da região.

De acordo com o jornal, que se baseia em números avançados pelo Sindicato de Agentes e Funcionários do Sistema Penitenciário do estado de Pernambuco, a Polícia Militar terá conseguido deter cerca de 40 pessoas, duas das quais morreram.

A fuga aconteceu três dias depois de 53 presos terem escapado da prisão Professor Barreto Campelo de Itamaracá, na área metropolitana do Recife, os quais acabaram por ser capturados.

Lusa

  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.

  • G7 reforça compromisso na luta contra o terrorismo
    2:11