sicnot

Perfil

Mundo

Pelo menos 29 mortos em bombardeamentos na Síria

Pelo menos 29 pessoas morreram hoje, entre as quais sete menores, e dezenas ficaram feridas por bombardeamentos de aviões de guerra na periferia da cidade síria de Deir al Zur, onde o grupo terrorista Estado Islâmico lançou uma ofensiva.

(Arquivo/Reuters)

(Arquivo/Reuters)

© Omar Sanadiki / Reuters

A informação foi divulgada pelo Observatório Sírio de Direitos Humanos.

A Organização Não Governamental (ONG) afirmou que aviões, que não se sabe se eram da Rússia ou do regime sírio, efetuaram vários ataques contra a povoação de Jasham, nas imediações de Deir al Zur.

A fonte admitiu que o número de mortos aumente porque há dezenas de feridos, alguns em estado grave.

Com estas vítimas mortais, aumenta para 73 o balanço de mortos desde sexta-feira por bombardeamentos nas localidades de Jasham, Tabia Yazira e Al Bulail, todas elas no leste da província de Deir al Zur, segundo o relato do Observatório.

Em declarações à agência Efe através de internet, o diretor executivo da rede de ativistas Deir al Zur 24, Omar Abu Leila, elevou para 50 o número de mortos hoje em Jasham, dos quais 20 foram já identificados, e 65 feridos.

Abu Leila apontou que foi a aviação russa a autora do ataque contra zonas civis nessa localidade.

O ativista acrescentou que a Força Aérea da Rússia lançou hoje também vários bombardeamentos contra as populações de Al Bulail, Al Mayadin, Al Quria, Al Jarita e o monte de Al Hayif, que foi conquistado pelo EI esta semana.

Abu Leila lamentou que os ataques aéreos não tenham como objetivo as áreas onde há confrontos entre o regime e os jihadistas no oeste de Deir al Zur, mas sim em zonas do este da província.

Lusa

  • Negociações para a paz na Síria poderão ser retomadas na 2ª feira
    2:05

    Mundo

    As negociações para a paz na Síria poderão ser retomadas já na próxima segunda-feira, com a presença em Genebra do presidente Bashar al Assad. Enquanto vários países tentam encontrar uma solução diplomática, as organizações não-governamentais apelam ao envolvimento de todos os que querem um desfecho rápido para um conflito a entrar no sexto ano. Mais de 120 ONG juntaram-se à ONU e à UNICEF num forte apelo ao fim do conflito armado.

  • Carro que atropelou adepto encontrado numa garagem na Amadora
    1:51

    Desporto

    O carro que atropelou o adepto da Fiorentina, junto ao Estádio da Luz, está nas mãos da Polícia Judiciária. O automóvel foi encontrado esta terça-feira por uma brigada da PSP na garagem de um casa da Amadora, que pertence a um elemento da claque dos No Name Boys.

  • Portugueses passam mais de oito horas por semana ao volante
    0:59

    País

    Os portugueses gastam, em média, oito horas em deslocações durante a semana. Um estudo do Observatório Europeu da Mobilidade, divulgado hoje, diz ainda que a grande maioria prefere o automóvel como meio de transporte. Entre os países europeus, Portugal é líder na utilização do carro para deslocação para o trabalho.

  • A SIC foi dar uma volta de bicicleta

    País

    Há 90 anos, cerca de 40 ciclistas partiam do Marquês de Pombal, em Lisboa, para a primeira etapa da 1.ª Volta a Portugal de Bicicleta. Hoje, um grupo de investigadores repete o percurso, até Setúbal, dando início a uma viagem que pretende incentivar o uso da bicicleta como meio de transporte no dia-a-dia. Um jornalista da SIC segue no pelotão e pode acompanhar a viagem em direto no Facebook da SIC Notícias.

    SIC

  • PCP abre debate quizenal com assuntos laborais e sociais

    País

    Um dia depois da sessão solene do 25 de Abril, os deputados regressam hoje ao parlamento para mais um debate quinzenal com o primeiro-ministro, que será seguido por uma discussão sobre o Conselho Europeu extraordinário de sábado. Acompanhe aqui em direto às 15h00 e Minuto a Minuto.

  • Portugal subiu cinco lugares no Ranking da Liberdade de Imprensa
    1:42

    País

    Portugal está agora na 18 ª posição em 180 países no relatório deste ano dos Repórteres Sem Fronteiras. Esta associação revela que a imprensa portuguesa foi condenada 21 vezes por violação de liberdade de expressão e por difamação pelo Tribunal Europeu dos Direitos do Homem.