sicnot

Perfil

Mundo

Milhares de pessoas manifestam-se no Haiti exigindo a renúncia de Martelly

Milhares de pessoas manifestaram-se hoje nas ruas da capital haitiana para exigir a renúncia do presidente do país, Michel Martelly, um dia depois do Conselho Eleitoral Provisório (CEP) adiar, sem data, a segunda volta das eleições presidenciais.

© Andres Martinez Casares / Reu

As manifestações, convocadas pela oposição, exigem ainda a renúncia dos membros da CEP, um organismo que consideram favorecer o candidato oficial e que já assistiu à renúncia de cinco dos seus nove integrantes, enquanto um sexto foi suspenso devido a suspeitas de corrupção.

Alguns dos líderes dos protestos disseram aos meios de comunicação social haitianos que se vão manter nas ruas até que Martelly e os atuais membros do CEP renunciem aos cargos.

A primeira ronda das eleições celebrou-se no passado dia 25 de outubro, enquanto a segunda ronda estava originalmente programada para o dia 27 de dezembro.

Os protestos foram vigiados por elementos da Polícia Nacional Haitiana (PHN), bem como da Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (Minustah).

As autoridades informaram, além disso, que devido aos protestos e agitação nas ruas, foram suspensos na sexta-feira vários voos internacionais.

O CEP decidiu suspender a segunda volta das eleições presidenciais devido à insegurança no país, onde várias assembleias de voto foram incendiadas e alguns juízes do próprio organismo eleitoral receberam ameaças de morte.

A suspensão do escrutínio significa, a curto prazo, um triunfo para a oposição haitiana que reclamou a renúncia de Martelly e a criação de um Governo de transição que organize eleições "livres e democráticas" num máximo de 90 dias.

De acordo com a Constituição haitiana, Martelly deve deixar o poder a 07 de fevereiro, quando termina o mandato de cinco anos para o qual foi eleito.

Lusa

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Trabalhadores da saúde iniciam greve nacional

    País

    Trabalhadores da saúde estão esta sexta-feira a cumprir uma greve a nível nacional para reivindicar a admissão de novos profissionais, exigir a criação de carreiras e a aplicação das 35 horas semanais a todos os funcionários do setor.

  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Juiz brasileiro morto em acidente aéreo investigava corrupção na Petrobras
    1:28
  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.