sicnot

Perfil

Mundo

Obama desafia Paquistão a mostrar mais empenho contra o terrorismo

O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, desafiou hoje o Paquistão a mostrar mais empenho na luta contra as redes terroristas, lembrando que o massacre da semana passada mostra a necessidade de uma ação forte.

© Mohsin Raza / Reuters

"O Paquistão tem a oportunidade de mostrar a sua seriedade e a sua capacidade de deslegitimar, interromper e desmantelar as redes terroristas", disse o líder norte-americana numa entrevista hoje difundida pela Press Trust of India, citada pela AFP.

Elogiando as recentes detenções feitas pelas autoridades paquistanesas, dias depois de um ataque a uma universidade ter feito mais de 20 mortos, Obama acrescentou que o Paquistão deve envolver-se mais na luta contra o terrorismo.

"Nesta região e no mundo não deve haver qualquer tolerância para quem abriga as redes terroristas e todos devem ser trazidos perante a justiça", defendeu.

As forças de segurança do Paquistão anunciaram no sábado a detenção de cinco homens acusados de ajudar a organizar o ataque terrorista de quarta-feira a uma universidade no noroeste do país, que matou 21 pessoas.

"Cinco cúmplices foram presos um outro, a que chamarei de terrorista, estava ainda em fuga", disse o general Asim Bajwa durante uma conferência de imprensa em Peshawar, transmitida pelas televisões.

De acordo com este responsável, o terrorista organizou o transporte de quatro homens que, com armas de assalto e granadas, atacaram estudantes no recinto da Universidade Bacha Khan em Charsadda, antes de serem mortos pela polícia.

O chefe da polícia regional, Saeed Wazir disse que a operação policial contra os atacantes estava terminada e que as forças de segurança estavam a limpar a área.

O ataque foi reivindicado pelo grupo talibã Tehreek-e-Taliban Pakistan (TTP), tendo um comandante dos insurgentes, Umar Mansoor, confirmado à AFP que "quatro 'kamikazes'" atacaram a universidade.

Segundo a mesma fonte, o ataque foi uma resposta à "operação Zarb-e-Azb", uma ofensiva antiterrorista lançada pelos militares que está em curso mas zonas tribais do nordeste do Afeganistão.

Os homens armados invadiram a universidade de manhã. Polícia, soldados e forças especiais entraram depois na universidade por via terreste e aérea, para conterem o assalto, enquanto imagens de televisão mostravam estudantes a fugirem.

"Mais de 30 outras pessoas, incluindo alunos, pessoal e guardas da segurança foram feridas", acrescentou o chefe da polícia regional, Saeed Wazir à AFP.

Lusa

  • Assembleia-geral do Sporting marcada para 23 de junho
    2:57
  • Congresso do PS começa hoje na Batalha

    País

    O 22.º Congresso do PS começa hoje, na Batalha, distrito de Leiria, e durante o qual o secretário-geral, António Costa, deverá defender uma linha de continuidade estratégica, procurando, em simultâneo, projetar desafios estruturais que se colocam ao país.

  • Gonçalo Guedes: o menino franzino que jogava mais que os outros em Benavente
    8:47
  • Juiz impede acesso a informações bancárias e e-mails de António Mexia
    1:50

    País

    No inquérito crime que investiga a EDP, continua um braço de ferro entre o Ministério Público e o juiz de instrução. O magistrado voltou a negar o acesso a informações bancárias e a e-mails de António Mexia, que constavam dos processos da Operação Marquês e do universo Espírito Santo.

  • Universidade de Coimbra não retira Honoris Causa a Lula
    3:30
  • Estudo acaba com teorias da conspiração sobre a morte de Hitler

    Mundo

    Existem algumas versões sobre o desaparecimento do ditador nazi, Adolf Hitler. Há quem diga que viajou para um país da América do Sul, outros acreditam que está escondido na Antártida e há até quem vá mais longe e acredita que estaria na Lua. Mas, teorias da conspiração à parte, a história oficial diz que Hitler suicidou-se num bunker, em Berlim, Alemanha.

    SIC