sicnot

Perfil

Mundo

Morreu o explorador que queria atravessar a Antártica sozinho

O explorador britânico Henry Worsley, de 55 anos, morreu de exaustão e desidratação quando tentava fazer a travessia da Antártica sozinho, anunciou a família.

twitter

Henry Worsley com o príncipe William em outubro de 2015, pouco antes de iniciar a expedição ao Polo Sul.

Henry Worsley com o príncipe William em outubro de 2015, pouco antes de iniciar a expedição ao Polo Sul.

© POOL New / Reuters

O antigo soldado estava a 48 km de terminar o percurso de 1600 km quando pediu ajuda. A Força Aérea chilena foi buscá-lo de helicóptero mas acabou por morrer numa clínica em Punta Arenas, sul do Chile, "após total falência dos órgãos".

Henry Worsley queria completar a expedição ao Polo Sul que Ernest Shackleton não terminou há cerca de 100 anos.

  • Marcelo lembra como foi tratada a tragédia durante a ditadura
    2:25

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Marcelo Rebelo de Sousa não quis comentar diretamente a polémica em torno da lista das vítimas mortais de Pedrógão Grande, mas recorreu às cheias de 1967 para lembrar como as tragédias eram tratadas no tempo da ditadura. O Presidente da República defendeu que não é possível esconder a dimensão de uma tragédia num regime democrático. Há 50 anos, Marcelo Rebelo de Sousa acompanhou de perto a forma como o regime tentou esconder a verdadeira dimensão do incidente.

  • Ministra admite falhas no SIRESP no presente e no passado
    2:35

    País

    A ministra da Administração Interna admitiu, esta quinta-feira, que o SIRESP falha no presente tal como já falhou no passado, quando a tutela pertencia ao Governo PSD. Os sociais-democratas quiserem ouvir Constança Urbano de Sousa na comissão parlamentar mas desta vez a ministra defendeu-se com um ataque. 

  • "Comecei por ajudar uma família que me pediu um plástico para se proteger"
    4:51
  • Míssil lançado do Iémen intercetado perto de Meca

    Mundo

    Um míssil balístico lançado pelos rebeldes xiitas do Iémen foi intercetado, quinta-feira à noite, perto de Meca, na Arábia Saudita, a um mês da peregrinação muçulmana anual do hajj, anunciou a coligação árabe que intervém no Iémen.