sicnot

Perfil

Mundo

Registo do casamento secreto entre Napoleão e Josephine vai a leilão

O registo do casamento religioso, e secreto, entre Napoleão Bonaparte e Josephine, em 1804, vai ser leiloado em março, em França.

O casamento religioso aconteceu a 1 de dezembro de 1804, um dia antes de Napoleão de coroar imperador na catedral de Notre Dame, na capital francesa. (Arquivo)

O casamento religioso aconteceu a 1 de dezembro de 1804, um dia antes de Napoleão de coroar imperador na catedral de Notre Dame, na capital francesa. (Arquivo)

Jens Meyer / AP

O documento apresenta a assinatura do cardeal Joseph Fesch, que conduziu o casamento católico, a mando do Papa Pio VII, como condição para Napoleão ser coroado imperador.

Napoleão e Josephine já eram casados pelo civil há oito anos, mas o militar foi pressionado a casar-se pela Igreja Católica, numa cerimónia secreta na capela do palácio das Tulherias, em Paris, a fim de evitar um escândalo.

O casamento religioso aconteceu a 1 de dezembro de 1804, um dia antes de Napoleão de coroar imperador na catedral de Notre Dame, na capital francesa.

O registo integra uma coleção de objetos, cartas, pinturas e documentos pertencentes a Napoleão III, sobrinho e herdeiro do imperador francês, e que o atual proprietário, o milionário norte-americano Christopher Forbes, decidiu vender em leilão.

A leiloeira Osenat não adiantou o valor base de licitação do registo do matrimónio católico. Em 2014 o registo do casamento civil de Napoleão foi leiloado por 437.000 euros.

Lusa

  • Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas
    1:40

    Economia

    Carlos Moedas diz que Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas a propósito da saída do procedimento por défice excessivo. Em entrevista ao Diário de Notícias e à TSF, o comissário europeu levanta dúvidas sobre a renegociação da dívida e garante que a escolha de Mário Centeno para a liderança do Eurogrupo vai depender do entendimento dos países do euro.

  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48