sicnot

Perfil

Mundo

Vaga de frio faz mais de 80 mortos em Taiwan

Uma vaga de frio em Taiwan causou já a morte de mais de 85 pessoas na ilha, a maioria com mais de 65 anos e devido a problemas cardíacos e respiratórios desencadeados pelas baixas temperaturas, segundo dados dos bombeiros.

Taipé, Taiwan/Arquivo

Taipé, Taiwan/Arquivo

© Reuters Photographer / Reuter

A ilha, com temperaturas que nesta época do ano rondam habitualmente os 20 graus, foi atingida por uma rara vaga de frio que levou os termómetros a cair abaixo de zero, algo a que os taiwaneses não estão habituados.

Só na cidade de Taoyuan, no norte, junto ao aeroporto da capital, Taipé, morreram 35 pessoas por complicações relacionadas com o frio, como hipotermia e problemas de coração, devido à descida repentina das temperaturas.

Até na cidade de Kaohsiung, no sul, e de clima semi-tropical, se registaram temperaturas próximas dos cinco graus, que levaram à morte de 16 pessoas, com paragens cardíacas.

Nas cidades contíguas de Taipé e Nova Taipé morreram, pelo menos, 31 pessoas, com as temperaturas a baixar para os zero graus.

Espera-se que a onda de frio passe na quarta-feira e que as temperaturas voltem a chegar aos 20 graus.

  • A casa dos horrores
    7:57
  • PGR e presidente do Supremo deixam recado à ministra da Justiça
    2:45

    País

    Durante a abertura do ano judicial, a Procuradora-Geral da República e o presidente do Supremo Tribunal aproveitaram para deixar um recado à ministra da Justiça: é urgente aprovar o novo estatuto de juízes e magistrados. O presidente do Supremo diz que é injusta a má imagem da Justiça e pediu contenção aos magistrados.

  • Rui Rio tem sentido "alguma turbulência" no PSD
    2:01

    País

    Rui Rio e Pedro Passos Coelho tiveram esta quinta-feira a primeira reunião, desde que foi eleito o novo líder do PSD. À saída, Passos Coelho desejou que esta transição decorra com naturalidade. Já Rui Rio disse que tem sentido alguma turbulência no partido.

  • Sindicatos rejeitam fim das baixas médicas até três dias
    2:02

    País

    A CGTP quer levar o tema das baixas médicas à Concertação Social, já a UGT diz que há outras matérias prioritárias. Ainda assim as duas centrais sindicais lembram que a não justificação de faltas pode dar origem a um despedimento por justa causa. Esta quinta-feira o bastonário da Ordem dos Médicos propôs ao Governo que acabe com as baixas de curta duração, até três dias.

  • Papa interrompe percurso no Chile para ajudar polícia
    0:21
  • "Mundo à Vista" no Gana
    7:38