sicnot

Perfil

Mundo

Pelo menos 50 casos mortais de gripe suína na Rússia em dezembro

Pelo menos 50 pessoas morreram de gripe suína na Rússia no mês passado, de acordo com cálculos da agência AFP baseados em dados das autoridades de saúde regionais, com o vírus a ganhar terreno no país.

© Ilya Naymushin / Reuters

As autoridades de saúde na região de Rostov, no sul, disseram à agência RIA Novosti que mais duas pessoas tinham sucumbido ao vírus, elevando o número de mortos para oito. Já a região vizinha de Volgograd deu conta de 11 mortos por gripe suína.

Estes casos mais recentes somam-se aos de quarto adultos e uma criança na região de Dagestan, às mortes de dois pacientes em Urals e de um em Adygea.

O primeiro caso mortal de gripe suína na Crimeia foi relatado esta semana.

Diversas mortes foram também identificadas nas regiões de Bryank, Belgorod e Vladimir, entre outras.

A ministra da Saúde russa, Veronika Skvortsova, disse, na segunda-feira, que a situação da gripe suína no país estava "totalmente sob controlo".

Na sexta-feira, contabilizavam-se 18 mortes na Arménia por gripe suína desde o início do ano. Na Geórgia, morreram três pessoas e no Irão foram 112 as fatalidades causadas pelo vírus, que levou mais de mil pessoas ao hospital desde novembro.

Um surto de H1N1 motivou um alerta de pandemia da Organização Mundial de Saúde em junho de 2009, depois de emergir no México e Estados Unidos.

O surto matou cerca de 18.500 pessoas em 214 países. O alerta foi levantado em agosto de 2010.

Lusa

  • À redescoberta da Madeira, 16 anos depois
    1:59
  • Esquerda contra a venda do Novo Banco
    1:51

    Economia

    O futuro do Novo Banco promete agitar a maioria de esquerda nas próximas semanas. O Bloco de Esquerda e o PCP estão contra os planos de privatização e insistem que a solução é nacionalizar o banco. O Bloco de Esquerda defende que privatizar 75% é o pior de dois mundos. Já o PCP diz que o banco deve ser integrado no setor público.

  • Identificadas 10 mil vítimas de violência em 2016
    1:32

    País

    Há cada vez mais homens e idosos a pedirem ajuda à Associação Portuguesa de Apoio à Vítima. Segundo o relatório anual da APAV conhecido esta segunda-feira, foram identificadas quase 10 mil vítimas de violência no ano passado. Cerca de 80% são mulheres casadas e com cerca de 50 anos.