sicnot

Perfil

Mundo

Pelo menos oito mortos e 600 feridos na tempestade de neve no Japão

A tempestade de neve que atinge o oeste, centro e norte do Japão causou pelo menos oito mortos e mais de 600 feridos, segundo dados das autoridades locais, contabilizados hoje pela agência Kyodo.

Arquivo/Reuters

Arquivo/Reuters

© Kim Kyung Hoon / Reuters

Durante o fim de semana passado e na segunda-feira foram registados nevões e descidas recorde das temperaturas em várias regiões do país que causaram centenas de cancelamentos de voos e vários problemas na rede de transportes públicos.

A neve chegou a atingir 152 centímetros de espessura numa localidade na província de Fukushima e 137 centímetros em Hiroshima, levando a Agência Meteorológica do país a alertar para risco de avalanches e gelo nas estradas.

Pelo menos 100 carros ficaram presos na neve e 110 pessoas tiveram de passar a noite num comboio bala por não conseguirem regressar a casa.

As principais transportadoras aéreas cancelaram centenas de voos nacionais entre a zona oeste e sul do país.

Os nevões atingiram até zonas inusitadas do arquipélago, como a ilha de Amami, onde não nevava há 115 anos, ou a ilha de Kume, sem neve há 39 anos.

Na província de Hokkaido as temperaturas chegaram aos 31,8 graus negativos no domingo.

Lusa

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.