sicnot

Perfil

Mundo

Tiros ouvidos num hospital militar em San Diego não fizeram vítimas

Os disparos ouvidos hoje num hospital militar em San Diego, na Califórnia, não causaram vítimas e não foi possível detetar o seu autor, revelou fonte militar com base numa primeira verificação ao edifício onde se escutaram os tiros.

© Mike Blake / Reuters

De acordo com um porta-voz da Marinha dos EUA, agentes da polícia acompanhados de cães treinados para este tipo de intervenções procederam "a uma busca inicial e nada encontraram".

O comandante da marinha para o sudoeste dos Estados Unidos havia dito que, segundo informações "de uma única testemunha, às 08:00 da manhã (16:00 em Lisboa), três tiros foram ouvidos no edifício 26" do hospital da Marinha dos EUA, o designado Centro Médico Naval, que na sua página na rede social Facebook aconselhou os seus funcionários "a fugir, a esconder-se ou a tentar dominar o atirador".

A cidade de San Diego alberga muitas instalações militares e o hospital em causa está localizado no parque Balboa, a cerca de 10 quilómetros da base naval.

Desde um tiroteio em 2013 nos escritórios da Marinha no centro da capital, Washington, que causou 12 mortos, meia-dúzia de tiroteios em bases daquela ramo das forças armadas ocorrem a cada ano, segundo o jornal Navy Times.

A mais recente situação deste género na Califórnia teve lugar a 02 de dezembro em San Bernardino, tendo causado a morte a 14 pessoas, naquilo que as autoridades descreveram como um ato terrorista de um casal radical, que abriu fogo num almoço de Natal para funcionários dos serviços de saúde locais.

Lusa

  • Há companhias aéreas a contratar. TAP é uma delas
    1:28
  • Euforia e preocupação no Santiago de Bernabéu
    3:02
  • "Sonho com um futuro melhor", o desejo de um jovem sírio em Portugal
    2:12

    País

    Mais de 50 jovens sírios chegaram esta madrugada a Lisboa, para iniciarem o novo ano letivo, em Portugal. Sonham com um futuro melhor. Sonham com uma educação melhor. Os 54 estudantes vieram ao abrigo do programa lançado pelo antigo Presidente da República, Jorge Sampaio, que nos últimos anos já deu uma nova oportunidade a cerca de 200 alunos.

  • Na linha do triunfo
    16:49