sicnot

Perfil

Mundo

Liberdade de imprensa diminuiu em Hong Kong, Macau e China em 2015

A liberdade de imprensa em Hong Kong, Macau e interior da China deteriorou-se em 2015, concluiu um novo relatório da Federação Internacional de Jornalistas (FIJ) divulgado hoje.

© Tyrone Siu / Reuters (Arquivo)

"A Liberdade de imprensa na China, Hong Kong e Macau deteriorou-se ainda mais em 2015, com o Partido Comunista Chinês a usar de todos os meios à sua disposição para controlar a imprensa", refere o relatório da FIJ.

O oitavo relatório da organização, que denuncia a autocensura e a crescente influência de Pequim sobre os meios de comunicação em Hong Kong, surge numa altura em que o desaparecimento de cinco livreiros da antiga colónia britânica aumentou as preocupações dos residentes quanto à erosão das liberdades naquela região administrativa especial chinesa.

Os cinco eram funcionários da editora Mighty Current, conhecida por publicar títulos críticos dos líderes de Pequim.

O documento também prevê maiores pressões na cidade, que irá ter eleições legislativas este ano e escolher o próximo chefe do Executivo em 2017.

"Atendendo a que Hong Kong vai a eleições no próximo ano, o partido está também a usar a sua considerável riqueza para consolidar a sua influência na região", acrescenta.

Entre outras situações referentes a 2015, o relatório refere o caso do incêndio na casa do magnata da comunicação social de Hong Kong Jimmy Lai, e na sede da sua empresa Next Media, que publica o jornal Apple Daily.

Outro caso diz respeito ao jogo de qualificação para o Mundial 2018 disputado entre a China e Hong Kong, em que, segundo o Apple Daily, jornalistas foram detidos pela polícia durante três horas e acusados de "jornalismo ilegal".

"A polícia também pediu para eles escreverem uma carta de arrependimento. Outros jornalistas queixaram-se que tinham sido identificados e levados pela polícia assim que chegaram ao estádio da cidade chinesa de Shenzhen", acrescenta o documento.

O relatório do ano passado alertava para "as jogadas de bastidores", numa altura em que as tensões permaneciam elevadas em Hong Kong, após mais de dois meses de ocupação das ruas no final de 2014, em protesto em prol do sufrágio universal.

Ken Tsang, um ativista pró-democracia que foi alegadamente espancando pela polícia durante estes protestos, numa agressão captada pelas câmaras de televisão, disse na quinta-feira, após uma audição em tribunal, que a situação relativamente às ameaças às liberdades em Hong Kong era "terrível".

Hong Kong tem um estatuto semiautónomo após ter sido devolvido à China pela Grã-Bretanha em 1997, e mantém uma liberdade que não existe no território continental.

No entanto, há receios de que estas liberdades estejam a desaparecer em Hong Kong, particularmente após as grandes manifestações pró-democracia em 2014 e a rejeição, em junho de 2015, da reforma política proposta por Pequim para o território.

Já sobre Macau, o relatório refere um caso ocorrido a 15 de março, em que um jornalista foi afastado por seguranças durante uma cerimónia de inauguração de uma exposição no casino MGM, quando tentava entrevistar responsáveis do Governo.

Outro incidente, reportado pelo All About Macau, remonta a 23 de abril, quando profissionais da televisão MSTV foram bloqueados por pessoas não identificadas ao tentarem fazer a cobertura de um incêndio num dormitório da Universidade de Macau.

A apreensão, a 21 de maio, pelas autoridades do interior da China, de cerca de 1.000 cópias de um livro lançado pelo ativista Sulu Sou, antigo presidente da Associação Novo Macau, é também referida no relatório.

O relatório da FIJ, apresentado no Clube de Correspondentes Estrangeiros de Hong Kong, indica que as perspetivas para 2016 para o interior da China são "piores".

As autoridades chinesas detiveram e pressionaram jornalistas, recorreram a confissões forçadas difundidas na televisão e a outros métodos, limitando e influenciando o jornalismo, refere o relatório.

Lusa

  • Marco Silva vai treinar o Watford

    Desporto

    O treinador português Marco Silva assinou contrato com o Watford, da Liga Inglesa. O emblema que terminou a última Premier League na 17ª posição, a última antes dos lugares de descida, ganhou assim a corrida ao Crystal Palace e ao FC Porto, que também tentaram contratar o técnico.

  • Sérgio Conceição no radar do FC Porto

    Desporto

    O treinador português e os seus representantes têm marcada para esta sexta-feira uma reunião decisiva com o FC Porto. Sérgio Conceição poderá ser o sucessor de Nuno Espírito Santo no comando técnico dos dragões.

  • "A maior conquista foi construir estabilidade"
    2:14

    Economia

    António Costa voltou esta sexta-feira a garantir que a partir de junho nenhum subsídio de desemprego será inferior a 421 euros por mês. O primeiro-ministro falava nas jornadas parlamentares do PS, onde afirmou que a estabilidade é a maior conquista deste Governo.

  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Projeto Abem dá medicamentos grátis a 2.500 pessoas
    12:53
  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Nove suspeitos do ataque de Manchester têm entre 18 e 38 anos
    1:02
  • Uma foto para a história

    Mundo

    As mulheres dos líderes mundiais que se reúnem nas cimeiras da NATO posam para a fotografia oficial das primeiras-damas. A deste ano é histórica. Pela primeira vez, há um marido de um primeiro-ministro entre as nove mulheres. Trata-se de Gauthier Destenay, casado com o líder do Luxemburgo.

  • Roteiro de sugestões para o fim de semana
    13:00
    Se7e

    Se7e

    6ª feira no Jornal da Noite

    Todas as sextas-feiras há uma rubrica de lifestyle no Jornal da Noite. Se7e mostra o melhor do país, numa parceria SIC/Visão. Um roteiro de sugestões para o fim de semana, com os novos restaurantes e hotéis, as lojas da moda, os bares e as esplanadas.