sicnot

Perfil

Mundo

Myanmar constitui hoje novo parlamento com maioria do partido de Suu Kyi

O parlamento da Myanmar vai constituir-se hoje com os deputados saídos das eleições de novembro, tendo o partido da Nobel da Paz Aung San Suu Kyi maioria suficiente para formar Governo.

O parlamento da Myanmar vai constituir-se hoje com os deputados saídos das eleições de novembro, tendo o partido da Nobel da Paz Aung San Suu Kyi maioria suficiente para formar Governo.

O parlamento da Myanmar vai constituir-se hoje com os deputados saídos das eleições de novembro, tendo o partido da Nobel da Paz Aung San Suu Kyi maioria suficiente para formar Governo.

© Soe Zeya Tun / Reuters

A Liga Nacional para a Democracia (LND), da oposição, de Suu Kyi, obteve 80% dos assentos em disputa no parlamento nas eleições de novembro, as primeiras depois da dissolução, em 2011, do último dos regimes militares que governaram o país durante 49 anos.

Parlamento e Governo vão continuar a estar condicionados pelos militares -- a Constituição reserva-lhes um quarto dos lugares --, o que lhes permite bloquear qualquer tentativa de reforma da Carta Magna e controlar ministérios-chave, como a Defesa, Interior e Fronteiras.

Na primeira sessão parlamentar vão ser eleitos os presidentes da Câmara Alta e da Câmara Baixa, antes de estas proporem dois dos três candidatos a Presidente do país, com o terceiro a ser sugerido pelo Exército.

A eleição do Presidente vai decorrer em março.

Prémio Nobel da Paz em 1991, Suu Kyi, que a junta militar manteve sob detenção durante mais de 15 anos, está, porém, impedida de se candidatar à Presidência de Myanmar devido a um artigo da Constituição que exclui pessoas casadas ou com filhos estrangeiros. Uma disposição que se considera feita à medida, ou seja, para visar diretamente Suu Kyi, viúva de um britânico e com filhos de nacionalidade britânica.

Apesar de a candidatura à Presidência ser impossível, Aung San Suu Kyi, de 70 anos, garantiu que vai dirigir o próximo Governo, depois de o seu partido ter conquistado a maioria no parlamento naquelas que foram as primeiras eleições livres em mais de 25 anos.

Lusa

  • Deputado do PS abandona partido e pode colocar em causa maioria parlamentar
    2:28

    País

    Domingos Pereira foi eleito pelo círculo de Braga. Agora, vai demitir-se do Partido Socialista e entregar o cartão de militante. Contudo, mantém-se no Parlamento, passando assim a deputado independente na Assembleia da República. Pode estar em causa a maioria parlamentar quando o PCP se abstiver.

    Notícia SIC

  • Pedro Dias recusou mostrar caligrafia
    2:29

    País

    Pedro Dias forneceu esta segunda-feira ADN aos peritos do laboratório da polícia científica. O suspeito dos crimes de Aguiar da Beira também foi intimado a entregar amostras da própria caligrafia, mas recusou fazê-lo.

  • Autoridades italianas prosseguem buscas por desaparecidos em avalancha
    0:54
  • "O México não acredita em muros"
    0:45

    Mundo

    Em resposta a Donald Trump, o Presidente mexicano diz que o país não acredita em muros, mas em pontes. Enrique Peña Nieto diz ainda que o México vai procurar dialogar com os Estados Unidos sem confrontos, mas também sem submissão.

  • Carolina do Mónaco celebra o 60.º aniversário
    2:13

    Mundo

    Carolina do Mónaco celebra esta segunda-feira o 60.º aniversário. Em 60 anos, foi criança mediática, jovem rebelde e, agora, matriarca sem ser rainha. Carolina do Mónaco nunca saiu das revistas, por ser filha de Grace Kelly e Rainier do Mónaco, por ter somado namorados pouco recomendáveis para princesas, por ter perdido o pai dos seus filhos num terrível acidente.

  • Ator morre baleado durante gravações de videoclip na Austrália

    Mundo

    Um ator morreu depois de ter sido baleado durante as gravações de um videoclip da banda Bliss n Eso, na cidade australiana de Brisbane. A vítima foi identificada como Johann Ofner, de 28 anos. O homem chegou a receber a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.