sicnot

Perfil

Mundo

Myanmar constitui hoje novo parlamento com maioria do partido de Suu Kyi

O parlamento da Myanmar vai constituir-se hoje com os deputados saídos das eleições de novembro, tendo o partido da Nobel da Paz Aung San Suu Kyi maioria suficiente para formar Governo.

O parlamento da Myanmar vai constituir-se hoje com os deputados saídos das eleições de novembro, tendo o partido da Nobel da Paz Aung San Suu Kyi maioria suficiente para formar Governo.

O parlamento da Myanmar vai constituir-se hoje com os deputados saídos das eleições de novembro, tendo o partido da Nobel da Paz Aung San Suu Kyi maioria suficiente para formar Governo.

© Soe Zeya Tun / Reuters

A Liga Nacional para a Democracia (LND), da oposição, de Suu Kyi, obteve 80% dos assentos em disputa no parlamento nas eleições de novembro, as primeiras depois da dissolução, em 2011, do último dos regimes militares que governaram o país durante 49 anos.

Parlamento e Governo vão continuar a estar condicionados pelos militares -- a Constituição reserva-lhes um quarto dos lugares --, o que lhes permite bloquear qualquer tentativa de reforma da Carta Magna e controlar ministérios-chave, como a Defesa, Interior e Fronteiras.

Na primeira sessão parlamentar vão ser eleitos os presidentes da Câmara Alta e da Câmara Baixa, antes de estas proporem dois dos três candidatos a Presidente do país, com o terceiro a ser sugerido pelo Exército.

A eleição do Presidente vai decorrer em março.

Prémio Nobel da Paz em 1991, Suu Kyi, que a junta militar manteve sob detenção durante mais de 15 anos, está, porém, impedida de se candidatar à Presidência de Myanmar devido a um artigo da Constituição que exclui pessoas casadas ou com filhos estrangeiros. Uma disposição que se considera feita à medida, ou seja, para visar diretamente Suu Kyi, viúva de um britânico e com filhos de nacionalidade britânica.

Apesar de a candidatura à Presidência ser impossível, Aung San Suu Kyi, de 70 anos, garantiu que vai dirigir o próximo Governo, depois de o seu partido ter conquistado a maioria no parlamento naquelas que foram as primeiras eleições livres em mais de 25 anos.

Lusa

  • DIRETO: Célula terrorista preparava grande atentado na Catalunha

    Ataque em Barcelona

    Uma das vítimas mortais do atentado em Barcelona era de Lisboa e há uma outra portuguesa, a sua neta, desaparecida. A polícia procura quatro jovens e há outras quatro detenções confirmadas. Os autores dos ataques na Catalunha, que mataram 14 pessoas e feriram 140, pertenciam ao mesmo grupo. Siga aqui as últimas informações, ao minuto.

    Em atualização

  • Vídeo mostra passagem da carrinha a alta velocidade nas Ramblas
    0:33
  • O momento em que os suspeitos foram abatidos em Cambrils
    2:35

    Ataque em Barcelona

    Em Cambrils, também na Catalunha, foram mortos cinco alegados terroristas que atropelaram várias pessoas, uma morreu e seis ficaram feridas, quando escapavam a uma perseguição policial, esta madrugada. As autoridades investigam uma eventual relação entre os dois atentados. Nota: chamamos à atenção para a violência das imagens, que podem chocar os espetadores mais sensíveis.

  • Nível de ameaça terrorista em Portugal continua moderado
    1:31

    Ataque em Barcelona

    O primeiro-ministro garantiu hoje que, para já, o nível de ameaça terrorista em Portugal não vai ser alterado (o nível está no 4 em 5). Já o Presidente da República disse que não há tolerância possível e garante que há medidas preparadas caso o mesmo cenário venha a acontecer em Portugal.

  • Vento e calor provocam reacendimentos em Mação
    1:55

    País

    As temperaturas altas e o vento forte estão a provocar reacendimentos em Mação. No terreno mantêm-se cerca de 800 bombeiros, numa altura que que há receio que as chamas voltem a ficar ativas, como explica o repórter Rui Carlos Teixeira.