sicnot

Perfil

Mundo

Cameron admite progressos por parte de Bruxelas sobre reformas da UE

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, considerou esta terça-feira que a proposta apresentada em Bruxelas sobre as reformas da União Europeia (UE) proporciona a "mudança substancial" que Londres procura, mas lembrou que "há trabalho por fazer".

O primeiro-ministro britânico, David Cameron.

O primeiro-ministro britânico, David Cameron.

© POOL New / Reuters

Depois de vários dias de intensas negociações entre Cameron e os líderes institucionais europeus, o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, pôs hoje sob a mesa um possível plano que contempla concessões ao Reino Unido, para que seja alcançado um acordo na cimeira da União Europeia (UE) que se realizará entre 18 e 19 de fevereiro.

Depois de ser aprovado pelos 28 países-membros da UE, Cameron poderia convocar o referendo que prometeu sobre a permanência ou não do Reino Unido no seio do espaço comunitário, no próximo mês de junho, provavelmente no dia 23, segundo os órgãos de comunicação social britânicos.

O líder conservador David Cameron, que vai informar na quarta-feira de manhã o parlamento sobre a sua resposta ao documento, qualificou hoje o texto como "um verdadeiro progresso".

O ministro dos Negócios Estrangeiros britânico, Philip Hammond, por sua vez, referiu não acreditar que os restantes países-membros da UE venham a opor-se ao documento apresentado por Donald Tusk, se bem que tenha lembrado que "o acordo final tem de ser aceite pelos líderes da UE".

Lusa

  • Mais de 1600 fiscalizações a IPSS em dois anos
    1:05

    Expresso da Meia Noite

    Nos últimos dois anos, o Estado fez mais de 1600 ações de fiscalização a Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS), das quais resultaram mais de 70 destituições e 80 participações ao Ministério Público. Os números foram avançados pela secretária de Estado da Segurança Social, Cláudia Joaquim, no programa Expresso da Meia-noite, na SIC Notícias.