sicnot

Perfil

Mundo

Explosão inexplicada em escola secundária na Suécia

Uma "forte explosão" ocorreu esta terça-feira à tarde numa escola secundária da cidade de Karlstad, no centro da Suécia, indicou a polícia, acrescentando que não conseguiu ainda identificar a causa.

Os serviços de emergência foram enviados para o local, todos os edifícios da zona foram evacuados e não há notícia de feridos.

Os serviços de emergência foram enviados para o local, todos os edifícios da zona foram evacuados e não há notícia de feridos.

© TT News Agency / Reuters

O alerta foi dado pelas 15:00 locais (14:00 de Lisboa) quando pessoas que se encontravam na zona da Tingvallagymnasiet disseram ter ouvido uma explosão e depois viram uma grande coluna de fumo a sair do telhado da escola.

Testemunhas indicaram igualmente ter visto dois homens a afastar-se correndo.

"Houve uma enorme explosão, as janelas e parte das paredes começaram a abanar", afirmou a diretora da escola, Christine Holmberg, ao tabloide sueco Aftonbladet.

Os serviços de emergência foram enviados para o local, todos os edifícios da zona foram evacuados e não há notícia de feridos.

"Estamos a tentar reconstituir o que aconteceu", disse o porta-voz da polícia regional, Stefan Wickberg, ao jornal on-line The Local.

Segundo Wickberg, a potência da explosão fez disparar alarmes de viaturas estacionadas na zona e os agentes policiais estavam a recolher diversos depoimentos para apurar exatamente o que aconteceu.

Pelas 16:40 locais (15:40 de Lisboa), o serviço de bombeiros e emergências indicou que a sua equipa e também a polícia tinham abandonado o local.

"Não conseguimos encontrar uma explicação. A nossa teoria é que alguém fez explodir alguma coisa que não deixou vestígios. Ninguém ficou ferido", escreveu o serviço na sua página da rede social Facebook.

A escola é a mais antiga de Karlstad, datando do século XIX, segundo o seu site da internet. Os alunos que a frequentam têm entre 15 e 19 anos.

Lusa

  • GNR só teve acesso às imagens das agressões em Alcochete 12 horas depois
    1:42

    Crise no Sporting

    A GNR não pôde visionar as imagens de videovigilância da Academia de Alcochete logo que chegou ao local. O sistema estava inoperacional, o que fez com que as imagens só fossem entregues quase 12 horas depois do ataque à equipa do Sporting. Entre as provas recolhidas, estão também impressões digitais e vestígios de sangue encontrados na zona do balneário.

  • Juiz considera que agressões em Alcochete foram "ato terrorista"
    1:59

    Crise no Sporting

    O juiz que decretou a prisão preventiva dos 23 detidos pelo ataque à Academia do Sporting considera que se tratou de um ato terrorista. Diz mesmo que os agressores tiveram um comportamento chocante e que perverte o espírito desportivo. Sete dos 23 detidos já foram condenados por outros crimes, mas não chegaram a pena de prisão.

  • Gonçalo Guedes: o menino franzino que jogava mais que os outros em Benavente
    8:47
  • A promessa que João Mário vai ter de cumprir se Portugal for campeão
    1:36
  • Aprovadas mudanças no acesso ao ensino superior

    País

    O Governo aprovou esta quinta-feira o decreto-lei que estabelece o currículo dos ensinos básico e secundário, bem como os princípios orientadores da avaliação, voltando a nota de Educação Física a contar para a média de acesso ao ensino superior. No caso dos alunos do ensino profissional, são eliminados requisitos considerados discriminatórios no acesso ao ensino superior.

  • Universidade de Coimbra não retira Honoris Causa a Lula
    3:30
  • Estudo acaba com teorias da conspiração sobre a morte de Hitler

    Mundo

    Existem algumas versões sobre o desaparecimento do ditador nazi, Adolf Hitler. Há quem diga que viajou para um país da América do Sul, outros acreditam que está escondido na Antártida e há até quem vá mais longe e acredita que estaria na Lua. Mas, teorias da conspiração à parte, a história oficial diz que Hitler suicidou-se num bunker, em Berlim, Alemanha.

    SIC