sicnot

Perfil

Mundo

NATO saúda intenção dos EUA de reforçar presença militar na Europa

O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, saudou hoje em comunicado a proposta dos Estados Unidos de reforçar "de forma significativa" a sua presença militar na Europa.

(Arquivo/Reuters)

(Arquivo/Reuters)

© Jonathan Ernst / Reuters

A Aliança Atlântica respondeu de forma positiva à decisão hoje emitida pelo departamento de Defesa dos Estados Unidos, que pretende solicitar cerca de 583 mil milhões de dólares (537 mil milhões de euros) no seu orçamento para 2017, com importantes aumentos de fundos canalizados para o combate ao grupo 'jihadista' Estado Islâmico (EI) e à estratégia norte-americana na Europa.

O chefe do Pentágono, Ashton Carter, indicou que os EUA planeiam um aumento significativo da sua presença militar no território europeu.

"O orçamento solicitado, caso seja aprovado, vai quadruplicar o financiamento, até aos 3.400 milhões de dólares [3.130 milhões de euros] em 2017 para a força norte-americana na Europa", acrescenta o comunicado.

A NATO indicou que esta verba permitirá financiar forças norte-americanas mais rotativas, maior formação e exercícios e mais ferramentas de combate e infraestrutura.

Para a Aliança "isso constitui um claro sinal do firme compromisso dos Estados Unidos pela segurança europeia".

"Vai ser uma contribuição importante e oportuna à dissuasão e defesa coletiva da NATO", acrescentou Stoltenberg.

O Presidente dos EUA, Barack Obama, apresentará na próxima semana a proposta orçamental para o ano fiscal de 2017, que se inicia em outubro.

Lusa

  • Mário Centeno lidera hoje a primeira reunião do Eurogrupo
    1:56
  • Eleição de Rio "embaraça" PCP e BE
    0:34

    Opinião

    Luís Marques Mendes considera que a eleição de Rui Rio veio criar embaraço ao PCP e Bloco de Esquerda. O comentador da SIC considera que a promessa de que venha a haver pactos de regime entre PS e PSD é motivo de preocupação para os parceiros do Governo.

  • Quem são os arguidos da operação Fizz
    2:29

    País

    É já considerado o julgamento do ano da justiça portuguesa e o caso que está a abalar as relações entre Portugal e Angola. O processo da operação Fizz tem quatro arguidos, mas um deles, já é certo, não irá sentar-se esta segunda-feira no banco dos réus.

  • Que shutdown é este que paralisou os EUA?
    2:27
  • Casal que mantinha filhos acorrentados queria participar num reality show
    3:15
  • Quase 100 atletas testemunharam contra médico Larry Nassar
    1:38

    Desporto

    Quase 100 atletas e antigas ginastas da seleção dos Estados Unidos da América confrontaram esta semana, em tribunal, o médico Larry Nassar, acusado de assédio sexual. Em dezembro, o clínico foi condenado a 60 anos de prisão por um tribunal do Michigan, por posse de pornografia infantil.