sicnot

Perfil

Mundo

UE propõe travão para benefícios a migrantes no Reino Unido

A União Europeia (UE) propôs hoje um travão de quatro anos nos benefícios dos migrantes, no âmbito das negociações sobre o denominado Brexit, que prevê a realização dum referendo no Reino Unido sobre a permanência na UE.

reuters

O esboço das propostas da UE consta de uma carta do presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, que escreveu na sua conta da rede social Twitter "ficar ou não ficar junto, essa é a questão".

Na sua proposta para evitar a saída de Londres do espaço comunitário, o responsável europeu avançou com um "mecanismo de salvaguarda" para limitar até quatro anos as ajudas sociais aos migrantes europeus que se instalem no Reino Unido.

O texto prevê um travão nomeadamente para trabalhadores com baixos salários nomeadamente "numa situação excecional" que afete "aspetos essenciais no sistema de segurança social.

Tusk garantiu ainda um "mecanismo" para que os nove países da UE fora da zona euro possam colocar preocupações e recebam as "necessárias garantias" sobre decisões tomadas pelos Estados-membros que utilizam a moeda única.

Porém, este mecanismo "não poderá ser um veto ou constituir um atraso nas decisões urgentes", sublinhou Tusk, que informou que mais pormenores deverão ser discutidos antes da cimeira de chefes de Estado e do Governo dos 28 dentro cerca de duas semanas.

Donald Tusk comentou que esta proposta "vai muito longe" na resposta das preocupações levantadas por Londres.

"A linha que eu não cruzei, porém, foram os princípios sobre os quais o projeto europeu foi fundado", garantiu o polaco, admitindo tratar-se de um "processo difícil" e que, no futuro, ainda há desafios a ultrapassar nas negociações.

"Estou convencido que a proposta é uma boa base para um compromisso", concluiu.

As propostas deverão agora ser discutidas pelos vários países membros da UE.

Por seu lado, o primeiro-ministro britânico, David Cameron, escreveu no Twitter terem sido alcançados "verdadeiros progressos" nas quatro áreas em discussão, mas "há mais trabalho a fazer

  • Marco Silva vai treinar o Watford

    Desporto

    O treinador português Marco Silva assinou contrato com o Watford, da Liga Inglesa. O emblema que terminou a última Premier League na 17ª posição, a última antes dos lugares de descida, ganhou assim a corrida ao Crystal Palace e ao FC Porto, que também tentaram contratar o técnico.

  • "A maior conquista foi construir estabilidade"
    2:14

    Economia

    António Costa voltou esta sexta-feira a garantir que a partir de junho nenhum subsídio de desemprego será inferior a 421 euros por mês. O primeiro-ministro falava nas jornadas parlamentares do PS, onde afirmou que a estabilidade é a maior conquista deste Governo.

  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.

  • G7 reforça compromisso na luta contra o terrorismo
    2:11
  • Uma foto para a história

    Mundo

    As mulheres dos líderes mundiais que se reúnem nas cimeiras da NATO posam para a fotografia oficial das primeiras-damas. A deste ano é histórica. Pela primeira vez, há um marido de um primeiro-ministro entre as nove mulheres. Trata-se de Gauthier Destenay, casado com o líder do Luxemburgo.