sicnot

Perfil

Mundo

Cargueiro à deriva em França muito perto do porto de Bilbau

O navio de carga, há uma semana à deriva ao largo da costa atlântica francesa, está já muito perto do porto de Bilbau, no país basco. É lá que o cargueiro deve chegar, ainda esta quarta-feira.

O navio, com 300 toneladas de combustível mais 3600 toneladas de madeira e equipamento de construção, seguia viagem entre o Gabão e a França quando uma operação de emergência foi requisitada, receando um eventual derrame.

O navio, com 300 toneladas de combustível mais 3600 toneladas de madeira e equipamento de construção, seguia viagem entre o Gabão e a França quando uma operação de emergência foi requisitada, receando um eventual derrame.

LOIC BERNARDIN/MARINE NATIONALE/HANDOUT

Os rebocadores têm mantido as manobras a uma velocidade de pouco mais de 5 quilómetros por hora.

O navio, com 300 toneladas de combustível mais 3600 toneladas de madeira e equipamento de construção, seguia viagem entre o Gabão e a França quando uma operação de emergência foi requisitada, receando um eventual derrame.

A tripulação foi mesmo retirada do cargueiro durante o resgate.

Os especialistas acreditam que o mau tempo no mar mudou a posição da carga a bordo, levando a uma inclinação demasiado arriscada para uma viagem normal.

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.