sicnot

Perfil

Mundo

Cerca de 3.000 jornalistas assassinados nos últimos 25 anos

Pelo menos 2.297 jornalistas foram assassinados em todo o mundo nos últimos 25 anos, 112 dos quais foram mortos em 2015, indica um relatório da Federação Internacional de Jornalistas (FIJ) divulgado hoje.

© XXSTRINGERXX xxxxx / Reuters

Os dados da FIJ revelam que desde 1990 se registaram 309 assassínios de profissionais da informação no Iraque, 146 nas Filipinas, 120 no México, 115 no Paquistão, 109 na Rússia, 106 na Argélia, 95 na Índia, 75 na Somália, 67 na Síria e 62 no Brasil, os países com mais homicídios de jornalistas.

Por regiões, a Ásia-Pacífico regista o maior número de assassinatos desde 1990 (571), seguida do Médio Oriente (473), América (472), África (424) e Europa (357).

O relatório desta federação mundial de sindicatos de jornalistas indica ainda que o número de jornalistas assassinados não desce abaixo dos três dígitos desde 2010 e que 2006 foi o ano com maior número de assassínios, 155, enquanto 1998 e 2000 registaram o menor número de homicídios, ambos com 37.

Os dados mostram também que os crimes acontecem em todo o mundo e não apenas em zonas de conflito.

Anthony Bellanger, secretário-geral da FIJ, afirmou que muitos jornalistas "são vítimas de funcionários corruptos e de líderes criminosos", assinalando que se registaram "mais assassinatos em situações de paz do que em países em guerra".

Segundo o estudo, apenas uma em cada 10 mortes foi investigada, considerando a FIJ que "a ausência de ação para acabar com a impunidade em relação aos assassinatos e ataques aos profissionais dos meios de comunicação social alimenta a violência contra os mesmos".

Jim Boumelha, presidente da FIJ, declarou num comunicado que o relatório pretende ser igualmente "uma homenagem à coragem e sacrifício de milhares de jornalistas que perderam a vida enquanto cumpriam a missão de informar e formar os cidadãos".

Lusa

  • "Já só lhes resta uma coisa: bisbilhotar comunicações privadas"
    2:57

    Caso CGD

    O primeiro-ministro diz que o PSD atingiu o grau zero da política, quando chegou à "bisbilhotice" de querer ver as mensagens trocadas entre o ministro das Finanças e António Domingues. A polémica da Caixa Geral de Depósitos voltou a marcar o debate quinzenal, com António Costa a garantir que nunca esteve em causa a entrega de declarações da administração. Já o PSD e o CDS a acusaram o Governo de violar as regras da transparência e de oprimir os direitos da oposição.

  • Compensa comprar a granel?
    8:39
  • Técnica de defesa contra aperto de mão de Donald Trump
    1:39
  • Vídeo mostra aterragem de Harrison Ford que quase causou um desastre

    Mundo

    Harrison Ford quase provocou um grave acidente quando, ao pilotar um dos seus aviões, falhou a pista de aterragem e esteve muito perto de chocar contra um um Boeing 737, com mais de 100 pessoas a bordo. O incidente com o ator norte-americano, considerado um piloto experiente, aconteceu na passada segunda-feira, dia 13, no Condado de Orange, na Califórnia, e o momento foi captado em vídeo.

  • Descoberta nova espécie de primatas em Angola

    Mundo

    Uma equipa britânica de cientistas descobriu uma nova espécie de galagos anões, um primata pertencente à família dos galonídeos - comum na África subsariana -, na floresta ameaçada da Kumbira, localizada na província do Cuanza Sul, noroeste de Angola.

  • Vestidos da princesa Diana em exposição
    1:29

    Mundo

    As roupas mais emblemáticas da princesa Diana vão estar em exposição no Palácio de Kensington, em Londres, a partir de sexta-feira. O objetivo é mostrar a evolução do estilo da princesa de Gales, considerada um dos maiores ícones de moda de sempre.