sicnot

Perfil

Mundo

China preocupada com planos da Coreia do Norte de lançar míssil

A China uniu-se hoje à comunidade internacional, que demonstra preocupação com os planos da Coreia do Norte de lançar um míssil, numa altura em que o Japão avisou que derrubará qual projétil que ameace o seu território.

Reuters

"Estamos seriamente preocupados", admitiu um porta-voz do ministério chinês dos Negócios Estrangeiros, numa conferência de imprensa, em Pequim, apelando a Pyongyang que respeite a resolução da ONU que proíbe o país de usar tecnologia de mísseis balísticos.

A reação surge após a Coreia do Norte, que faz fronteira com a China, ter confirmado que irá lançar um míssil entre o dia 8 e 25 de fevereiro, apenas algumas semanas após o seu quarto teste nuclear.

Pyongyang insiste que o seu programa é meramente científico, mas os Estados Unidos e os seus aliados consideram que os lançamentos preveem a criação de um míssil balístico intercontinental capaz de atingir solo norte-americano.

A Coreia do Sul afirmou, entretanto, que o país vizinho irá pagar um "preço elevado" se prosseguir com o seu plano, enquanto o primeiro-ministro japonês Shinzo Abe condenou o que designa de "séria provocação".

O ministro da Defesa do Japão ordenou a destruição do projétil, recorrendo a mísseis ar-terra, caso este viole o espaço aéreo japonês.

A Coreia do Norte argumenta que o seu único objetivo é colocar em órbita um satélite de observação da Terra.

  • Manuel Delgado demitiu-se devido a "grave violação da privacidade"

    País

    O ex-secretário de Estado da Saúde diz que apresentou a demissão para "não perturbar nem criar qualquer tipo de embaraço ao normal funcionamento do Governo". Num comunicado, Manuel Delgado esclarece que foi remunerado pelo trabalho de consultor na Raríssimas "muito antes" da entrada no Governo e acrescenta que respeitou na íntegra todo o quadro legal e ético.

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55

    Economia

    Os trabalhadores independentes vão descontar menos para a Segurança Social já no próximo ano. A taxa vai descer dos 29,6% por cento para os 21,4%. A descida será compensada por um aumento das contribuições pagas pelos patrões. Há também alterações em caso de desemprego e o subsídio de doença passa a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.

  • Tripulantes da TAP acusam companhia de desrespeitar compromissos
    3:16

    Economia

    O Sindicato que representa os tripulantes da TAP acusa a empresa de estar a violar a lei. A companhia aérea portuguesa denunciou unilateralmente o acordo de empresa com os tripulantes e apresentou novas condições, que o sindicato considera indignas. Diz que os tripulantes fizeram esforços pela companhia no verão e que agora estão a ser desrespeitados.

  • Uma "Árvore da Esperança" pelas vítimas dos fogos
    2:01
  • Bebé nasce com coração fora do peito e sobrevive
    2:06
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28