sicnot

Perfil

Mundo

Obama condena retórica "indesculpável" de alguns políticos sobre os muçulmanos

O Presidente norte-americano, Barack Obama, que hoje visita pela primeira vez uma mesquita nos Estados Unidos, condenou a retórica "indesculpável" que alguns políticos proferem sobre os muçulmanos.

© Jonathan Ernst / Reuters

"Recentemente, ouvimos uma retórica indesculpável contra os muçulmanos americanos, comentários que não têm lugar no nosso país. Não é surpreendente que a perseguição e as ameaças contra muçulmanos americanos tenham aumentado", declarou o chefe de Estado norte-americano, durante um discurso diante dos membros da Sociedade Islâmica de Baltimore (Estado de Maryland).

Obama não mencionou qualquer nome, mas as suas declarações remetem para os recentes comentários de dois candidatos à nomeação presidencial do Partido Republicano, o multimilionário Donald Trump e o neurocirurgião aposentado Ben Carson.

"Depois do 11 de setembro, e mais recentemente depois dos atentados de Paris e em San Bernardino (Califórnia), (...) as pessoas confundiram os atos terríveis de terrorismo e uma religião como um todo", referiu Obama, salientando que atacar uma religião representa um ataque "a todas as religiões".

Em novembro passado, os republicanos Donald Trump e Ben Carson afirmaram ter visto imagens de muçulmanos a celebrar nos Estados Unidos os atentados terroristas de 11 de setembro de 2001.

Antes, em setembro último, Ben Carson já tinha afirmado que nenhum muçulmano deveria ser Presidente dos Estados Unidos. O neurocirurgião aposentado declarou então que o Islão não era consistente com os valores da Constituição norte-americana.

Já o multibilionário Donald Trump defendeu que todos os muçulmanos deviam ser impedidos temporariamente de entrar nos Estados Unidos, alegando o perigo de 'jihadistas' infiltrarem-se no país para cometer ataques terroristas.

Lusa

  • Obras de remodelação calam Big Ben
    1:18

    Mundo

    Na próxima segunda-feira, os sinos do Big Ben, o famoso relógio de Londres, vão ficar em silêncio. As obras de restauro só estarão concluídas daqui a quatro anos.