sicnot

Perfil

Mundo

Presidente da África do Sul vai devolver dinheiro público gasto na sua casa

O Presidente da África do Sul, Jacob Zuma, aceitou devolver parte dos 246 milhões de rands (14 milhões de euros) do erário público que gastou há seis anos na reforma da sua residência.

reuters

"Para encerrar esta interminável disputa, de acordo com as recomendações da Defensora do Povo, o Presidente propõe que se determine, de forma independente e imparcial, a soma que deve pagar", diz um comunicado da presidência publicado hoje.

Com esta proposta, Zuma pretende alcançar um acordo que coloque um ponto final no processo judicial movido pelo Tribunal Constitucional, por iniciativa da oposição, cuja audiência estava marcada para a próxima terça-feira, dia 09.

Zuma sugere que o auditor geral -- um cargo idêntico ao de Defensor do Povo, que tem como função supervisionar as contas públicas -- e o ministro das Finanças sejam designados pelo Tribunal para determinar a maquia que deve restituir.

A presidência justificou como obras destinadas a garantir a segurança do chefe de Estado -- e, portanto, a cargo dos contribuintes -- a construção na sua residência de Nkandla de um estábulo para vacas, um galinheiro, uma piscina e um anfiteatro, segundo o documento publicado pela Defensora do Povo, em 2014.

No relatório, Thuli Madonsela instava o Presidente sul-africano a calcular, com a ajuda da Tesouraria Nacional e da Polícia, o custo das obras que não estavam relacionadas com a sua segurança.

Após muitas reticências e as repetidas exigências da oposição no parlamento, Zuma encarregou de fazer as contas o ministro da Polícia, que exonerou o chefe de Estado de devolver qualquer maquia.

No seu relatório, o ministro da Polícia, Nkosinathi Nhleko, membro do Congresso Nacional Africano (CNA), liderado por Zuma, garantia que a piscina era um "elemento estratégico para apagar fogos" e portanto uma infraestrutura que servia a segurança.

A mesma qualificação foi feita relativamente ao espaço para os animais, com o mesmo responsável a considerar que "mantinha-os longe do sistema de segurança", permitindo assim que as cercas eletrificadas e o resto dos dispositivos funcionassem.

Jacob Zuma, de 73 anos, chegou à presidência da África do Sul em 2009, depois de a justiça ter retirado as mais de 700 acusações por corrupção que pendiam contra si.

Em 2014, foi reeleito com maioria absoluta apesar das inúmeras acusações de corrupção contra si e contra a sua administração.

  • Mais de um milhão de crianças em risco de morrer à fome
    1:23

    Mundo

    Cerca de 1.4 milhões de crianças estão em risco iminente de morrer à fome. Deste modo, a UNICEF faz um apelo urgente de cerca de 230 milhões de euros para levar nos próximos meses comida, água e serviços médicos a estas crianças. As imagens desta reportagem podem impressionar os espectadores mais sensíveis.

  • Vídeo amador mostra destruição na Síria
    1:04

    Mundo

    A guerra na Síria continua a fazer vítimas mortais. Um vídeo amador divulgado esta segunda-feira mostra o estado de uma localidade a este de Damasco, depois de um ataque aéreo no fim-de-semana. No ataque, 16 pessoas morreram e há várias dezenas de feridos.

  • Partidos querem eleições a 1 de outubro
    1:35
  • Identificadas 10 mil vítimas de violência em 2016
    1:32
  • Homem que esfaqueou mulher em Esmoriz é acusado de homicídio qualificado
    1:24

    País

    O homem que no sábado esfaqueou a mulher em Esmoriz está acusado de homicídio qualificado. O arguido de 50 anos foi ouvido esta segunda-feira pelo juiz de instrução e ficou em prisão preventiva, uma medida fundamentada pelo perigo de fuga e de alarme. O homem remeteu-se ao silêncio durante o interrogatório, no Tribunal de Aveiro.

  • Homem condenado a oito anos e meio por abuso sexual da mãe
    1:10

    País

    O Tribunal de Coimbra condenou esta segunda-feira um homem de 53 anos a oito anos e meio de prisão por abuso sexual da mãe e ainda por crimes de roubo e coação. A mãe, de 70 anos, sofria de problemas nervosos e consumia bebidas alcoólicas com frequência, tendo sido vítima de abuso sexual por parte do filho enquanto dormia. Os crimes cometidos remetem para o início de 2016, depois do homem já ter cumprido outras penas de prisão em Espanha.

  • Jovem de 21 anos morre colhida por comboio na linha da Beira Baixa
    0:43

    País

    Uma jovem de 21 anos morreu esta segunda-feira ao ser atropelada pelo comboio Intercidades à saída da estação de Castelo Branco, na linha da Beira Baixa. A vítima foi colhida pelo comboio que seguia no sentido Lisboa-Covilhã ao atravessar a linha de caminho de ferro. Este é um local onde não existe passagem de nível, mas habitualmente muitas pessoas arriscam fazer a travessia da linha.

  • Banco do Metro com pénis gera polémica no México

    Mundo

    Um banco em formato de homem com o pénis exposto, numa das carruagens de Metro da Cidade do México, está a gerar polémica. A iniciativa integra uma campanha contra o assédio sexual de que as mulheres são vítima no país.