sicnot

Perfil

Mundo

Alegada participação de Lula em tráfico de influências sob investigação federal

O ex-Presidente brasileiro Lula da Silva está a ser investigado pela Polícia Federal pela alegada participação num esquema de tráfico de influências, anunciou hoje fonte policial em Brasília.

© Ricardo Moraes / Reuters

Em causa está a alegada participação de Luiz Inácio Lula da Silva num esquema de compra de medidas provisórias em benefício de empresas do sector automóvel.

Um documento enviado hoje pelo delegado federal Marlon Cajado para o juiz Vallisney Souza Oliveira, que conduz a Operação Zelotes, pede a abertura de um novo inquérito para apurar a participação de Lula e de outros servidores públicos.

O ex-Presidente já havia sido convocado para depor como testemunha de defesa do empresário Alexandre Paes dos Santos, um dos 16 acusados de participar do mesmo esquema, tendo sido ouvido no passado dia 06 de janeiro.

A Operação Zelotes, desencadeada em março de 2015, investiga o pagamento de subornos a membros do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) para favorecer empresas do sector automóvel.

No ano passado, a Polícia Federal estimou que o esquema pode ter causado um prejuízo de pelo menos 6 mil milhões de reais (mais de 1,3 mil milhões de euros) em dívidas canceladas junto do fisco.

O mesmo inquérito também investiga se as empresas fabricantes de veículos e peças pagaram subornos a intermediários e membros do Governo fazerem lóbi em prol de medidas de incentivo ao setor, que foram editadas nos executivos de Lula e da atual Presidente Dilma Rousseff.

Entre 2009 e 2013, fabricantes de veículos e peças foram beneficiadas com isenção fiscal e mudanças de algumas regras de arrecadação de imposto.

Além desta investigação, Lula também tem sido citado por delatores ouvidos dentro das investigações de corrupção da Petrobras, e num outro inquérito em São Paulo que apura se o ex-Presidente escondeu bens da Justiça.

Lusa

  • "Sobre este pântano, não é possível jogar futebol seriamente na próxima época"
    4:46

    Opinião

    David Borges esteve esta quinta-feira, na Edição da Noite, da SIC Notícias, onde analisou as acusações do FC Porto ao Benfica, no caso dos e-mails. O comentador da SIC disse que falta saber se "tudo é verdade" e se os documentos são verdadeiros, o que compete ao Ministério Público apurar. David Borges defendeu ainda que era "bom" que a investigação decorresse de forma rápida e profunda; e não acredita que perante a polémica, se consiga jogar "futebol seriamente", na próxima época.

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Metade dos moradores de Sandinha recusaram sair das casas
    3:14
  • Habitantes de Várzeas tentam regressar à normalidade
    2:48
  • Corpos da tragédia em Pedrógão guardados em camião de alimentos
    8:11

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Duarte Nuno Vieira, médico legista, esteve esta quinta-feira, na Edição da Noite, para comentar o que já foi feito e o que falta fazer em Pedrógão Grande, depois de ter sido atingido pelos incêndios. O presidente do Conselho Europeu de Medicina Legal defendeu que guardar os corpos das vítimas mortais num camião de alimentos foi uma "maneira de solucionar o problema da forma possível", visto que não há espaço no Instituto Nacional De Medicina Legal.

  • Trump volta a garantir que não tentou interferir na investigação do FBI
    0:17

    Mundo

    O Presidente dos EUA reitera que não tentou interferir na investigação do FBI em relação às alegadas interferências da Rússia nas eleições presidenciais. Questionado sobre as gravações das conversas que manteve com o ex-diretor da polícia de investigação, James Comey, Donald Trump prometeu esclarecimentos num futuro breve.

  • "A informação pode ter saído depois da hora do exame de Português"
    1:19

    País

    O presidente da Confederação Nacional das Associações de Pais diz que é preciso aguardar pelas conclusões do relatório sobre a alegada fuga de informação do exame nacional de Português. Jorge Ascensão defende que a investigação deve causar o mínimo de impacto aos alunos que realizaram a prova.