sicnot

Perfil

Mundo

Pentágono divulga 198 fotografias de abusos de militares no Iraque e Afeganistão

O Pentágono divulgou esta sexta-feira uma série de fotos sobre os abusos feitos por militares norte-americanos a prisioneiros no Iraque e no Afeganistão no ano 2000.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Anil Usyan / Reuters

As 198 fotografias disponibilizadas mostram lesões ou contusões, mas são menos dramáticas do que as "terríveis fotos" tiradas na prisão de Abu Ghraib no Iraque e depois divulgados na imprensa.

Aquelas imagens provocaram a indignação internacional e vários soldados foram condenados.

As fotografias foram divulgadas no âmbito de uma longa batalha judicial com a ACLU, um poderoso grupo de defesa dos direitos civis norte-americanos.

A ACLU luta desde 2004 pela divulgação de duas mil fotografias de tortura e maus-tratos a prisioneiros na posse das autoridades norte-americanas.

O grupo lamentou hoje que as autoridades tenham apenas divulgado um pequeno número das fotografias.

"Estas imagens selecionadas são suscetíveis de enganar o público sobre a verdadeira extensão do abuso", denunciou Jameel Jaffer, diretor-adjunto dos Assuntos Jurídicos da organização.

A tortura "não era uma coisa de algumas ovelhas negras, ela era sistémica e ordenada por altos dirigentes governamentais", afirmou Naurren Shah da Amnistia Internacional.

Onze militares norte-americanos foram condenados após as revelações de Abu Ghraib.

As fotografias foram divulgadas na página do Departamento da Defesa norte-americano.

Lusa

  • Reportagem Especial dá a voz aos despedidos da banca
    1:18
  • CEMGFA admite que várias armas roubadas estão em condições de ser usadas
    2:06

    Assalto em Tancos

    Afinal há várias armas roubadas em Tancos que estão em condições de ser utilizadas, sendo que apenas os lança-granadas-foguete estão obsoletos. Esta manhã, o general Pina Monteiro admitiu, no Parlamento, que a declaração que fez há duas semanas pode ter induzido em erro a opinião pública. O chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA) diz, ainda, que se houvesse indícios sobre colaboração do Exército neste caso, os suspeitos estariam presos.

  • Pais de Charlie Gard querem que o bebé morra em casa

    Mundo

    Depois de terem renunciado à batalha judicial para manterem o filho com vida, os pais do bebé britânico Charlie Gard desejam agora levar a criança para morrer em casa. O desejo foi revelado pelo advogado de Chris Gard e Connie Yates, numa audiência esta tarde, no Supremo Tribunal de Londres. Contudo, o hospital responsável pelo caso admite que os cuidados a Charlie não podem ser feitos em casa.