sicnot

Perfil

Mundo

ONU acusa Damasco de "extermínio" de detidos

Investigadores da ONU sobre a Síria acusaram hoje Damasco de "extermínio" de detidos, assegurando que estas "mortes em massa" de prisioneiros são resultado de uma "política de Estado".

"Os presos (...) são espancados até à morte ou morrem na sequência dos seus ferimentos ou atos de tortura", refere o relatório da ONU.

"Os presos (...) são espancados até à morte ou morrem na sequência dos seus ferimentos ou atos de tortura", refere o relatório da ONU.

© Alaa Al-Marjani / Reuters (Arquivo)

"Os presos (...) são espancados até à morte ou morrem na sequência dos seus ferimentos ou atos de tortura", referem no seu último relatório os peritos mandatados pelo Conselho dos direitos humanos da ONU, e que associam a política de "extermínio" de prisioneiros e um "crime contra a humanidade".

"É evidente que as autoridades governamentais que administram as prisões e centros de detenção estão informadas de que estas mortes ocorrem numa escala em massa", sustentam, antes de indicarem que dezenas de milhares de pessoas, incluindo mulheres e crianças, permanecem detidas nas prisões governamentais sírias.

Estas "mortes em massa de prisioneiros" são a consequência das terríveis e propositadas condições de vida nos centros de detenção, e o resultado de uma "política de Estado que tem por objetivo atacar a população civil", afirmam os investigadores.

Os quatro membros da comissão de inquérito da ONU sobre as violações de direitos humanos na Síria nunca obtiveram autorização de Damasco para entrar no país, mas recolheram milhares de testemunhos de vítimas, documentos e fotos por satélite.

Lusa

  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.