sicnot

Perfil

Mundo

Reino Unido desembolsa 14 milhões de euros para combater "El Niño" em Moçambique

O Reino Unido vai disponibilizar 11 milhões de libras (14 milhões de euros) para Moçambique combater o fenómeno "El Niño" e desastres climáticos como a seca e a baixa produção agrícola, anunciou hoje em Maputo fonte oficial britânica.

O El Niño já provocou severas alterações meteorológicas, como inundações ou secas e alcançou o seu "pico" em novembro e dezembro de 2015. Uma dos países mais afetados tem sido Moçambique.

O El Niño já provocou severas alterações meteorológicas, como inundações ou secas e alcançou o seu "pico" em novembro e dezembro de 2015. Uma dos países mais afetados tem sido Moçambique.

© Eldson Chagara / Reuters

"Nós queremos apoiar os afetados pelo fenómeno 'El Niño' em Moçambique, estamos preocupados com a situação", disse Nick Hurd, ministro do Departamento para o Desenvolvimento Internacional britânico, falando à imprensa momentos após um encontro com o ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação moçambicano, Oldemiro Baloi.

Este valor representa um aumento de um milhão de libras, comparado com a quantia que o Reino Unido desembolsa em estratégias de combate ao fenómeno no país desde 2012.

O ministro britânico sublinhou que este novo apoio do Reino Unido será destinado a áreas de acesso água potável e saneamento, apontando-as como essenciais para o bem-estar, num momento em que alguns pontos do sul do país registam uma situação de seca severa.

"É do nosso interesse que o povo moçambicano tenha melhores condições de vida", acrescentou o ministro britânico, que manteve também um encontro com chefe de Estado moçambicano, Filipe Nyusi.

Durante o primeiro dia da visita de dois dias a Moçambique, Nick Hurd assinou ainda um memorando na área das energias renováveis com o ministro dos Recursos Minerais e Energia moçambicano, Pedro Couto, um acordo que prevê que os dois governos promovam o uso desta fonte no país africano.

"Nós queremos colaborar para acelerar o acesso à energia em Moçambique", salientou o governante britânico, destacando a importância do uso de energias renováveis num território vasto como o moçambicano.

O ministro britânico manifestou-se também preocupado com a crise política e militar entre o Governo e a Resistência Nacional Moçambicana (Renamo), uma situação que se agravou nos últimos meses, devido à recusa do maior partido de oposição em aceitar os resultados das eleições gerais de 2014.

"A situação política em Moçambique é uma preocupação nossa e gostávamos de ver este problema ultrapassado", sublinhou Nick Hurd, acrescentando que este foi um dos temas do encontro com o chefe da diplomacia moçambicana.

Lusa

  • Admissão de efetivos nas Forças Armadas aquém do pedido pelas chefias
    1:42

    País

    O Ministério das Finanças autorizou a admissão de mais efetivos nas forças armadas, este ano mas a integração fica muito abaixo do número pedido pelas chefias militares. Mário Centeno só terá autorizado a integração de cerca de três mil militares em vez das cinco mil vagas propostas pelas chefias do Exército, Força Aérea e Marinha.

  • EUA preparam-se para ver o primeiro eclipse solar total, 38 anos depois
    1:40
  • Pyongyang acusa Washington de atirar "achas para a fogueira"
    1:47

    Mundo

    A Coreia do Sul e os Estados Unidos iniciaram esta segunda-feira exercícios militares conjuntos. As manobras militares procuram ensaiar respostas a uma hipotética invasão da Coreia do Norte. Pyongyang já reagiu e diz que Washington está a atirar "achas para a fogueira". 

  • "É muito importante que os EUA mostrem determinação política e militar"
    0:50

    Mundo

    Os exércitos da Coreia do Sul e dos Estados Unidos iniciaram hoje as manobras anuais numa altura marcada pela recente escalada de tensão entre Pyongyang e Washington. Para Miguel Monjardino, comentador da SIC, estes exercícios militares são encarados como uma provocação para a Coreia do Norte. Monjardino defende que é importante que os EUA mostrem determinação no atual clima de tensão nuclear.

  • China prepara-se para inaugurar comboio mais rápido do mundo
    1:08
  • Morreu o rei da comédia
    2:08

    Cultura

    Um dos grandes nomes do humor norte-americano morreu ontem, aos 91 anos. Jerry Lewis era comediante, ator, argumentista, cantor e realizador. Considerado o rei da comédia, Lewis influenciou diferentes gerações de comediantes e foi defensor de várias causas humanitárias, entre as quais a distrofia muscular.

  • A insólita entrevista de Jerry Lewis que se tornou viral
    2:39

    Cultura

    Jerry Lewis concedeu no início deste ano uma entrevista insólita que se tornou viral nas redes sociais. O comediante decidiu, pura e simplesmente, não colaborar com o entrevistado. Lewis tinha na altura 90 anos e continuava a trabalhar, tendo participado no filme "Max Rose", em 2016.