sicnot

Perfil

Mundo

Toyota suspende produção no Japão por falta de aço

O maior fabricante de automóveis do mundo, a Toyota Motor, suspendeu a produção em todas as suas fábricas no Japão entre hoje e o dia 15 de fevereiro por falta de fornecimento de aço, anunciou a empresa num comunicado.

© Abhishek Chinnappa / Reuters

A falta de aço deve-se a um acidente numa fábrica deste material, a 08 de janeiro.

Todas as linhas de montagem das 16 fábricas da Toyota no Japão estão paradas, assim como outras unidades de produção de componentes da empresa.

A suspensão afeta também as linhas de produção das suas filiais Hino, Daihatsu e Lexus.

É a primeira vez que a Toyota para a produção no Japão desde o terramoto seguido de tsunami que abalou o país em março de 2011.

Com esta paragem, a Toyota deixará de produzir entre 70 e 80 mil automóveis, o que poderá ter um impacto nas suas contas anuais, segundo a própria empresa.

A medida não afeta as fábricas da empresa na América, na Europa e outros países da Ásia, que são responsáveis por cerca de metade da produção total do grupo.

A falta de aço deve-se a uma explosão a 08 de janeiro numa fábrica da filial da Toyota Aichi Steel, localizada no centro do Japão.

A Toyota Motor anunciou na sexta-feira que obteve, entre abril e dezembro, lucros líquidos de 1,88 biliões de ienes (14.423 milhões de euros), mais 9,2% em termos anuais homólogos, graças aos efeitos positivos da depreciação do iene e redução de custos.

O fabricante automóvel, com sede em Aichi (centro do Japão), registou lucros operacionais de 2,3 biliões de ienes (17.635 milhões de euros) nesse período, que corresponde aos primeiros nove meses do exercício fiscal no Japão, e lucros líquidos de 1,88 biliões de ienes (14.423 milhões de euros), mais 9%.

A faturação aumentou 6,5% até aos 21,43 biliões de ienes (163.923 milhões de euros).

O atual exercício fiscal no Japão termina a 31 de março de 2016.

Lusa

  • Tiroteio no Mississipi provoca oito mortos
    1:23

    Mundo

    Oito pessoas morreram, incluindo um polícia, depois de um tiroteio no estado norte-americano do Mississipi, nos Estados Unidos da América. O suspeito, um homem de 36 anos, já foi detido, mas as autoridades dizem que ainda é cedo para saber os motivos.

  • Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas
    1:40

    Economia

    Carlos Moedas diz que Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas a propósito da saída do procedimento por défice excessivo. Em entrevista ao Diário de Notícias e à TSF, o comissário europeu levanta dúvidas sobre a renegociação da dívida e garante que a escolha de Mário Centeno para a liderança do Eurogrupo vai depender do entendimento dos países do euro.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Polícia usa gás lacrimogéneo para dispersar manifestantes contra cimeira do G7
    2:28

    Mundo

    A cimeira do G7 terminou este sábado com confrontos entre manifestantes e a polícia na ilha italiana da Sicília e sem o compromisso de Donald Trump sobre o Acordo de Paris para a redução de emissões de dióxido de carbono. O Presidente dos EUA fez saber na rede social Twitter que vai tomar a decisão final durante a próxima semana.