sicnot

Perfil

Mundo

Toyota suspende produção no Japão por falta de aço

O maior fabricante de automóveis do mundo, a Toyota Motor, suspendeu a produção em todas as suas fábricas no Japão entre hoje e o dia 15 de fevereiro por falta de fornecimento de aço, anunciou a empresa num comunicado.

© Abhishek Chinnappa / Reuters

A falta de aço deve-se a um acidente numa fábrica deste material, a 08 de janeiro.

Todas as linhas de montagem das 16 fábricas da Toyota no Japão estão paradas, assim como outras unidades de produção de componentes da empresa.

A suspensão afeta também as linhas de produção das suas filiais Hino, Daihatsu e Lexus.

É a primeira vez que a Toyota para a produção no Japão desde o terramoto seguido de tsunami que abalou o país em março de 2011.

Com esta paragem, a Toyota deixará de produzir entre 70 e 80 mil automóveis, o que poderá ter um impacto nas suas contas anuais, segundo a própria empresa.

A medida não afeta as fábricas da empresa na América, na Europa e outros países da Ásia, que são responsáveis por cerca de metade da produção total do grupo.

A falta de aço deve-se a uma explosão a 08 de janeiro numa fábrica da filial da Toyota Aichi Steel, localizada no centro do Japão.

A Toyota Motor anunciou na sexta-feira que obteve, entre abril e dezembro, lucros líquidos de 1,88 biliões de ienes (14.423 milhões de euros), mais 9,2% em termos anuais homólogos, graças aos efeitos positivos da depreciação do iene e redução de custos.

O fabricante automóvel, com sede em Aichi (centro do Japão), registou lucros operacionais de 2,3 biliões de ienes (17.635 milhões de euros) nesse período, que corresponde aos primeiros nove meses do exercício fiscal no Japão, e lucros líquidos de 1,88 biliões de ienes (14.423 milhões de euros), mais 9%.

A faturação aumentou 6,5% até aos 21,43 biliões de ienes (163.923 milhões de euros).

O atual exercício fiscal no Japão termina a 31 de março de 2016.

Lusa

  • Vigília à porta da Autoeuropa contra novo horário
    1:13

    País

    Alguns trabalhadores da Autoeuropa fizeram este domingo uma vigília junto à fábrica, contra a imposição do novo horário de trabalho, que começa em fevereiro. Os trabalhadores estão contra essa obrigatoriedade e dizem que é ilegal porque não cumpre as 35 horas de descanso entre turnos.

  • Krovinovic não joga mais esta época

    Desporto

    O futebolista croata Filip Krovinovic lamentou este domingo a lesão nos ligamentos do joelho direito, sofrida no sábado na receção do Benfica ao Desportivo de Chaves (3-0), assumindo a confiança na conquista do quinto campeonato consecutivo pelo clube.

  • Marco Silva despedido do comando técnico do Watford

    Desporto

    O treinador português Marco Silva deixou o comando técnico do Watford, anunciou o 10.º classificado da Liga inglesa de futebol no seu sítio na Internet. "Foi uma decisão difícil e não foi tomada de ânimo leve. O clube está convencido de que a contratação de Marco Silva foi a correta e não fosse a abordagem indesejada de um rival da 'Premier League', continuaríamos a prosperar sob o seu comando", lê-se no comunicado do clube.

  • Waris estreia-se nos treinos do FC Porto

    Desporto

    O avançado ganês Majeed Waris, emprestado pelos franceses do Lorient, treinou este domingo pela primeira vez com o plantel do FC Porto, anunciou o líder da I Liga portuguesa de futebol no seu sítio oficial na Internet.