sicnot

Perfil

Mundo

Um dos dez soldados indianos soterrados em avalanche encontrado com vida

Um dos 10 soldados indianos desaparecidos numa avalanche nos Himalaias, em Caxemira, e que se receava estarem todos mortos, foi hoje encontrado com vida por equipas de resgate, adiantaram fontes oficiais.

© David Gray / Reuters

Os soldados foram surpreendidos pela avalanche ao amanhecer de dia 03 de fevereiro, quando faziam uma patrulha num glaciar, o Siachen, a 5.800 metros de altitude, do lado indiano da fronteira com o Paquistão.

O soldado foi encontrado dias depois de o Exército ter afirmado que havia poucas hipóteses de alguém ser encontrado com vida.

"No decorrer da operação de resgate em Siachen, dos dez soldados desaparecidos, um foi encontrado com vida", referiu o general D.S. Hooda, em comunicado.

"Todos os outros, infelizmente já não estão connosco", acrescentou.

O soldado resgatado, Lance Naik Hanamanthappa, está em estado crítico e a equipa de resgate ia tentar retirá-lo da montanha durante a manhã de hoje.

Um porta-voz do Exército disse à agência noticiosa AFP que o soldado seria enviado para um hospital em Nova Deli.

"Esperamos que o milagre continue", acrescentou.

O Exército indiano patrulha o glaciar Siachen, por vezes designado como o campo de batalha mais alto do mundo, devido ao contencioso territorial sobre Caxemira entre a Índia e o Paquistão.

As avalanches e os deslizamentos de terra são frequentes na região no inverno, quando a temperatura pode descer até aos 60 graus Celsius negativos.

De acordo com as estimativas, cerca de 8.000 soldados morreram no glaciar desde 1984, não em combate, mas vítimas de avalanches, deslizamentos de terra, hipotermia, mal das montanhas (doença das alturas) ou ataque cardíaco.

Lusa

  • Três letras de Zeca Afonso

    Cultura

    No dia em que se assinalam 30 anos da morte de Zeca Afonso, Raquel Marinho, jornalista da SIC e divulgadora de poesia portuguesa contemporânea, escolhe três letras do cantor e autor para dizer, em forma de homenagem.

    Raquel Marinho

  • Cunhado do Rei de Espanha em liberdade sem caução

    Mundo

    Inaki Urdangarin vai mesmo aguardar o desenrolar do recurso em liberdade na Suíça, onde o marido da Infanta Cristina tem residência oficial e onde terá de se apresentar às autoridades uma vez por mês, para além de estar obrigado a comunicar qualquer deslocação fora da Europa. De fora fica ainda o pagamento da caução de 200 mil euros pedida pelo Ministério Público espanhol.