sicnot

Perfil

Mundo

Bruxelas disponível para ajudar no acidente ferroviário na Alemanha

A Comissão Europeia (CE) manifestou hoje a sua tristeza perante o trágico acidente ferroviário registado hoje de manhã na Alemanha, mostrando-se disponível para prestar a assistência necessária.

© Michael Dalder / Reuters

A CE sublinhou estar a acompanhar, juntamente com a Agência Ferroviária Europeia (AFE), o caso da colisão frontal entre dois comboios que provocou nove mortos e mais de uma centena de feridos.

Os últimos números avançados pela polícia local falam em nove mortos e pelo menos duas pessoas que ainda não foram encontradas pelas equipas de salvamento, sendo uma delas o maquinista de um dos comboios.

As autoridades locais tinham já apontado a existência de mais de 50 feridos em estado grave.

O acidente ocorreu por volta das 06:00 locais (07:00 em Lisboa), na localidade Bad Aibling, no estado da Baviera, cerca de 60 quilómetros a sudeste de Munique.

No local, de difícil acesso para as equipas de salvamento, continuam equipas de resgate com ambulâncias e helicópteros para socorrer os feridos e transportar os casos mais graves para os hospitais, segundo a agência de notícias espanhola EFE.

O choque frontal dos dois comboios fez com que descarrilassem, não sendo ainda conhecidas as causas do acidente.

O grupo francês Transdev, empresa mãe da companhia Meridian, proprietária dos dois comboios que hoje estiveram envolvidos no acidente, já manifestou o seu choque com o acidente e anunciou o desejo de ver explicadas as causas da tragédia.

Lusa

  • Família perde tudo na aldeia de Queirã
    2:32
  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08

    País

    A chuva que caiu nos últimos dias não deverá ter impactos relevantes na dominuição da seca e, por isso, o risco de incêndios vai voltar a aumentar com nova subida das temperaturas. Os termómetros podem chegar aos 30 graus entre domingo e quarta-feira.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão