sicnot

Perfil

Mundo

Papa inaugura Quaresma e envia sacerdotes pelo mundo para perdoar pecados

O papa inaugurou hoje a Quaresma com os ritos de Quarta-Feira de Cinzas e enviou sacerdotes para todo o mundo para absolver os pecados dos fiéis, incluindo os considerados mais graves pela Igreja Católica, como o aborto.

© Stefano Rellandini / Reuters

A basílica de São Pedro acolheu hoje a missa de Quarta-Feira de Cinzas, que tradicionalmente se celebrava no monte Aventino, uma das sete colinas de Roma, e durante a cerimónia, o papa Francisco atribuiu a mais de mil sacerdotes a missão de viajar pelas dioceses de todo o mundo.

Trata-se dos "missionários da misericórdia", e são uma das principais novidades do Ano Santo Extraordinário em curso.

Dos mais de mil sacerdotes, cerca de 700 estiveram hoje na missa, indicou o Vaticano, e a eles se dirigiu o papa durante a homília, recomendando-lhes que ajudem os fiéis "a abrir as portas do coração, ultrapassar a vergonha e não fugir da luz".

"Que as vossas mãos bendigam e incentivem os irmãos e as irmãs, que através de vós o olhar e as mãos do Pai pousem sobre os seus filhos e curem as suas feridas", disse.

Francisco concedeu-lhes a faculdade de absolver os pecados, incluindo aqueles que estão reservados à sede apostólica, ou seja, aqueles que só o papa ou os organismos designados pelo Vaticano podem perdoar.

Esses são os que implicam a excomunhão automática e são "apostasia, heresia, cisma, profanação da Eucaristia, atentado ou violência física contra o papa ou a ordenação de bispos".

Os missionários poderão também absolver o pecado do aborto, que, até agora, só o papa e os bispos podiam fazer, e a sua missão durará até terminar este período jubilar, a 20 de novembro próximo.

Ao inaugurar a Quaresma, o período em que os católicos se preparam espiritualmente para a Páscoa, o papa recomendou que estes sigam "três medicamentos que curam o pecado": a oração, a caridade e o jejum.

Durante a cerimónia, as cinzas foram benzidas e colocadas em primeiro lugar na cabeça do próprio papa que, ato contínuo, as aplicou na fronte dos membros do clero e dos fiéis que desfilaram à sua frente, no altar papal da basílica.

Na homília, Francisco falou do "mistério do pecado", dizendo: "Afastámo-nos de Deus, dos outros e de nós mesmos".

"Não é difícil darmo-nos conta: (...) como é árduo amar os outros, em vez de pensar mal deles; como nos custa fazer o bem, enquanto somos tentados e seduzidos por tantas realidades materiais, que desaparecem e depois nos deixam pobres", disse.

O papa manifestou o desejo de que "a Quaresma seja um tempo de "benéfica poda da falsidade, da mundanidade e da indiferença".

"Para não pensarmos que 'tudo corre bem, se me corre bem a mim'", argumentou.

"Que a Quaresma [sirva] para compreender que o que conta não é a aprovação, a busca do êxito ou do consenso, mas a limpeza do coração e da vida; e para encontrar a identidade cristã ou o amor que serve, não o egoísmo que nos serve", acrescentou.

Aos pés do altar papal, de onde Jorge Bergoglio oficiou a missa, estavam presentes os restos do Padre Pío de Pietrelcina e de São Leopoldo Mandic, dois santos capuchinhos muito venerados em Itália e que foram expostos no Vaticano no âmbito das celebrações do Jubileu.

Após a missa, as urnas de cristal contendo os restos de ambos foram transportadas em procissão pela nave central da basílica, para dar aos fiéis a oportunidade de os ver de perto.

Quinta-feira será o dia em que as relíquias empreenderão a viagem de regresso aos lugares em que tradicionalmente repousam, realizando-se, para tal, uma cerimónia de despedida do Vaticano.

Lusa

  • Marcelo Rebelo de Sousa avisou que depois das autárquicas viria um novo ciclo. A lógica levou-nos a assumir que estava a falar do PSD, mas hoje, olhando para a situação política, devemos também incluir nessa previsão a “geringonça” e os seus equilíbrios. Não acredito que as coisas mudem até às legislativas, mas as contas só se fazem depois dos votos das autárquicas. Até lá, o tom de voz das esquerdas vai engrossar.

    Bernardo Ferrão

  • A corrida ao iPhone 8 no Japão, China e Austrália
    2:04
  • Milhares protestam na Catalunha contra Madrid
    1:45

    Mundo

    O Governo de Madrid mostrou-se disposto a dar mais dinheiro e autonomia financeira à Catalunha, se o Governo Regional suspender o referendo independentista. A 10 dias da consulta popular, a tensão é explosiva, com protestos nas ruas, detenções e confrontos com as autoridades.

  • O que separa a Catalunha do resto de Espanha?
    2:12

    Mundo

    Desde 1640, as revoltas catalãs representam a vontade pela distância e pela independência. Numa região que não é reconhecida formalmente como Nação, na Catalunha entende-se e fala-se mais castelhano do que catalão. Mas o que realmente separa a Catalunha do resto de Espanha?

  • Complexo Agroindustrial do Cachão abandonado e exposto à poluição
    2:03
  • Família Portugal Ramos
    15:01

    As Famílias Vintage regressaram esta quinta-feira, com uma viagem ao Alentejo. Foi a partir desta região que João Portugal Ramos conquistou um lugar entre os grandes do setor. Desde há 25 anos a vindimar em seu nome, o enólogo produz seis milhões de litros de vinho por ano.

  • Se pedir ao seu cão para ir buscar uma garrafa de vinho ele vai?
    0:49

    País

    Há 25 anos a vindimar no Alentejo, o enólogo João Portugal Ramos produz seis milhões de litros de vinho por ano. Em Estremoz comprou casa e terra. Iniciou a plantação de vinhas próprias e a construção de uma adega. Um espaço que conhece como as palmas da mão. Ele e um amigo muito especial.

  • Presidente das Filipinas pede que matem o filho se estiver envolvido nas drogas

    Mundo

    O Presidente das Filipinas pediu que matassem o seu filho se as acusações de que traficava droga fossem provadas. Rodrigo Duterte destacou ainda que, caso fosse verdade, iria proteger as autoridades que executassem Paolo Duterte. Em causa está a acusação de que o filho do Presidente filipino faria parte da máfia chinesa, que contrabandeia drogas, vindas da China para dentro do país.

    SIC

  • Morreu a mulher mais rica do mundo

    Mundo

    Liliane Bettencourt, herdeira do grupo de cosméticos L'Oréal e a mulher mais rica do mundo, segundo a revista Forbes, morreu na quarta-feira à noite aos 94 anos, anunciou a família.

  • Espanhola tenta provar há sete anos que está viva

    Mundo

    Uma mulher de 53 anos está há sete anos a tentar provar que está viva. Segundo o Estado espanhol, Juana Escudero Lezcano morreu a 13 de maio de 2010, mas na realidade quem morreu foi uma mulher com o mesmo nome e data de nascimento.

    SIC