sicnot

Perfil

Mundo

Desastres relacionados com clima superam qualquer tipo de catástrofe

Os desastres relacionados com as alterações climáticas superam em número e intensidade os causados por qualquer outro tipo de catástrofe, assinalaram hoje em Genebra instituições internacionais especializadas na questão.

O El Niño já provocou severas alterações meteorológicas, como inundações ou secas e alcançou o seu "pico" em novembro e dezembro de 2015. Uma dos países mais afetados tem sido Moçambique.

O El Niño já provocou severas alterações meteorológicas, como inundações ou secas e alcançou o seu "pico" em novembro e dezembro de 2015. Uma dos países mais afetados tem sido Moçambique.

© Eldson Chagara / Reuters

O ano de 2015 foi o mais quente desde meados do século XIX, quando começaram a registar-se as temperaturas, o que os especialistas relacionam com a existência de 32 secas graves, contra uma média anual de 15 no decénio anterior.

"Ultrapassamos o ano mais quente jamais registado, durante o qual 98,6 milhões de pessoas foram afetadas por desastres", disse o diretor do gabinete das Nações Unidas para a Redução do Risco de Catástrofes (UNISDR), Robert Glasser, ao apresentar aqueles dados à imprensa.

A China foi o país mais afetado por desastres o ano passado, com um total de 26, seguido dos Estados Unidos (22), da Índia (19), Filipinas (15) e Indonésia (11).

As secas foram o tipo de desastre que afetou maior número de pessoas, com um total de 50,5 milhões de vítimas, seguidas das inundações, com 27,5 milhões.

As tempestades -- intensificadas pelos distúrbios do clima devido ao aquecimento do planeta -- aparecem em terceiro lugar com 10,5 milhões de vítimas.

No entanto, de acordo com o Centro de Investigação sobre a Epidemiologia das Catástrofes (CRED), os desastres em 2015 causaram 22.773 mortos, uma redução considerável face à média anual dos 10 anos anteriores que foi de 76.424 vítimas mortais.

As mortes do ano passado registaram-se em 346 desastres, incluindo as 8.831 do terramoto no Nepal.

As temperaturas extremas, sobretudo as vagas de calor, incluem-se também nos desastres graves ocorridos em 2015.

"Vários países da Europa enfrentaram limites de calor com números significativos de vítimas mortais, sobretudo em França, enquanto a Índia e o Paquistão viveram vagas de calor que estão entre as mais graves dos últimos tempos", disse a diretora do CRED, Debarati Guha-Sapir, considerando que "a mortalidade devido às vagas de calor está muito subestimada".

Lusa

  • Primeiro-ministro holandês liga a Costa para explicar palavras de Dijsselbloem
    2:23

    País

    António Costa pediu que Djisselbloem desaparecesse da Presidência do Eurogrupo. Após esta tomada de posição, o primeiro-ministro holandês ligou para Costa na semana passada a dar explicações. Contudo, o primeiro-ministro português não recua e volta a dizer que Dijsselbloem não tem condições para continuar, na sequência das declarações sobre copos e mulheres. Os eurodeputados do Partido Popular Europeu reforçaram também esta terça-feira o pedido de demissão.

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45

    País

    Há um surto de hepatite A em Portugal. Desde janeiro, 105 pessoas foram diagnosticadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, um número superior aos casos contabilizados em todo o país nos últimos 40 anos. O surto terá começado na Holanda e está a atingir quase toda a Europa.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Novo vídeo do Daesh mostra crianças a treinar para matar
    3:35
  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho

  • Trump propõe cortes orçamentais para pagar muro

    Mundo

    O Presidente dos Estados Unidos está a propor cortes de milhões de dólares no orçamento para que os contribuintes norte-americanos, e não o México, paguem o muro a construir na fronteira entre os dois países.

  • Tecnologia permite a tetraplégico mexer mão e braço

    Mundo

    Um homem que ficou tetraplégico num acidente voltou a mover-se com a ajuda da tecnologia e apenas usando o pensamento, num projeto de investigadores dos Estados Unidos divulgado esta terça-feira na revista especializada em medicina The Lancet.