sicnot

Perfil

Mundo

EUA e Rússia em Munique para conversações sobre a Síria

O chefe da diplomacia da Rússia, Serguei Lavrov, reúne-se hoje em Munique com o seu homólogo norte-americano John Kerry, para abordarem os progressos nas conversações de paz sobre a Síria, informou o seu gabinete.

© Eduardo Munoz / Reuters

O anúncio segue-se às conversações indiretas de quarta-feira em Genebra entre os protagonistas do conflito na Síria, num novo esforço para terminar com uma violenta guerra civil que desde 2011 já provocou mais de 260.000 mortos.

Os dois diplomatas encontram-se pela primeira vez desde o fracasso das conversações de paz sobre a Síria em Genebra e a ofensiva sobre Alepo desencadeada pelo regime de Damasco, apoiado pelo Irão e a aviação russa.

No decurso de um contacto telefónico na quarta-feira, Lavrov e Kerry "concordaram avaliar o progresso das conversações de Genebra durante o próximo encontro do Grupo internacional de apoio à Síria (ISSG) em 11 de fevereiro", refere o comunicado, mas sem referir o local do encontro.

Em paralelo, diplomatas de outros países envolvidos no conflito, com destaque para o Irão e Arábia Saudita, vão tentar relançar os esforços de cessar-fogo e a abertura de "corredores humanitários". Estão previstos encontros bilaterais durante a manhã, um encontro com todos os países presentes durante a tarde e por fim uma conferência de imprensa.

Washington e Moscovo são decisivos nas tentativas para terminar com o conflito sírio, incluindo neste fórum do ISSG que integra mais 17 países.

Os dois diplomatas também discutiram as conversações em curso em Genebra entre representantes do regime de Bashar al-Assad e representantes da oposição, que se encontram suspensas.

No início da semana, um adjunto de Lavrov tinha referido que Moscovo pretendia promover um encontro internacional sobre a Síria em Munique para hoje, e confirmado um "acordo de princípio" sobre o assunto entre diplomatas russos e norte-americanos.

A partir de sexta-feira e até domingo decorre ainda em Munique a conferência internacional sobre segurança.

Lusa

  • Madonna diz que América nunca desceu tão baixo
    2:12

    Mundo

    No mundo artístico, foram várias as vozes que se levantaram contra Trump, entre elas Madonna. A cantora disse esta quinta-feira em Nova Iorque, a propósito do dia da tomada de posse, que nunca a América desceu tão baixo. Já o ator Matthew McConaughey - que está em Londres - garantiu que não ia perder a cerimónia pela televisão.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Videoclipe mostra mulheres a fazer tudo o que é proibido na Arábia Saudita
    1:55

    Mundo

    Um grupo de mulheres canta, dança e faz outras coisas proibidas na Arábia Saudita como forma de protesto. O vídeo é uma crítica social à forma como as mulheres islâmicas são tratadas pelos maridos. Na letra constam frases como "Faz com que os homens desapareçam da terra" e "Eles provocam-nos doenças psicológicas". A ideia partiu de um homem, Majed al-Esa e já conta com 5 milhões de visualizações.

    Patrícia Almeida