sicnot

Perfil

Mundo

EUA enviam submarino nuclear para Coreia do Sul em resposta ao míssil norte-coreano

Os Estados Unidos da América enviaram um submarino de propulsão nuclear para a Coreia do Sul, informou hoje uma fonte militar de Seul, em resposta ao recente lançamento de um míssil por parte da Coreia do Norte.

© Carlos Jasso / Reuters

O USS North Carolina (SSN-777), um submarino com mais de oito anos de serviço, "está a caminho da Coreia do Sul", indicou uma fonte das Forças Armadas do país asiático à agência Yonhap.

O submarino de propulsão nuclear, cuja velocidade de cruzeiro é de 46 quilómetros por hora, tem capacidade para transportar mísseis de cruzeiro Tomahawk e até 48 torpedos.

Com o envio do USS North Carolina para águas sul-coreanas, os Estados Unidos pretendem "reafirmar o seu compromisso com a defesa da Coreia do Sul" e "enviar uma mensagem de advertência à Coreia do Norte", indicou a mesma fonte.

O porta-voz também assegurou que os Estados Unidos desejam enviar para o país asiático dois novos aviões de combate, possivelmente um bombardeiro B-2 e um caça F-22 Raptor.

O envio do submarino é considerado uma resposta ao recente lançamento, pela Coreia do Norte, de um satélite espacial a bordo de um míssil de longo alcance, uma ação fortemente contestada por Seul e Washington, que a consideram um ensaio de mísseis balísticos encoberto, o que violaria das resoluções do Conselho de Segurança da ONU.

O lançamento deste míssil seguiu-se a um teste nuclear em janeiro, após o qual os Estados Unidos enviaram um bombardeiro B-52 para a Coreia do Sul.

Os Estados Unidos mantêm estacionados, de forma permanente, 28.500 soldados na Coreia do Sul, país que se comprometem a defender em caso de conflito com o Norte.

  • Marcelo de volta a casa após diagnóstico de gastroenterite aguda
    3:37
  • Saransk tanto anseia por Ronaldo que até lhe fizeram um vídeo e uma música
    3:07
  • Ronaldo no País dos Sovietes: Danças e cantares
    3:49
  • Portugal quer atrair imigrantes
    1:28

    País

    O Governo prepara-se para regularizar a situação de 30 mil imigrantes ilegais que vivem em Portugal. De acordo com a edição deste sábado do semanário Expresso, o Executivo pretende também abrir portas a 75 mil novos imigrantes por ano.