sicnot

Perfil

Mundo

Grupo armado que ocupava parque natural nos EUA vai entregar-se após 40 dias

Um grupo armado que um edifício público num parque natural em Oregon, Estados Unidos, aceitou abandonar hoje o local, ao fim de 40 dias, depois de o FBI cercar a zona e forçar uma negociação.

© Jim Urquhart / Reuters

Após horas de negociações, transmitidas em direto e seguidas por milhares de pessoas na Internet, as quatro pessoas que ainda ocupavam as instalações asseguraram que vão abandonar o refúgio desarmadas às 8:00 locais (16:00 em Lisboa).

A ocupação começou a 2 de janeiro, quando um grupo armado tomou um edifício da reserva natural de Malheur como forma de protesto e em apoio a dois homens condenados por realizarem queimadas num terreno rural do Governo sem autorização.

Ao grupo juntaram-se pessoas de todo o país, mas a 26 de janeiro o líder dos amotinados, Ammon Bundy, foi detido por agentes federais e pediu aos seus seguidores que abandonassem o local.

Segundo o jornal local The Oregonian, apenas quatro pessoas permanecem no parque e já não estão no edifico mas sim acampadas ao ar livre: David Fry, de Ohio, Jeff Banta, de Elko (Nevada), e o casal Sean e Sandy Anderson, de Riggins (Idaho).

Ao fim de horas de negociações, Sean Anderson anunciou que os quatro vão abandonar o local hoje se lhes permitirem encontrar-se com Michele Fiore, uma deputada do Nevada que há dois anos apoiou o pai de Bundy numa disputa com o Governo e se ofereceu para atuar como mediadora neste caso, e com o evangélico Franklin Graham.

"Não nos estamos a render, estamos a entregar-nos. Vai contra tudo o que acreditamos mas vamos fazê-lo", assegurou Sean Anderson, acrescentando que as armas serão deixadas nos seus veículos.

O FBI não confirmou, no entanto, que haja um acordo para que o grupo abandone o local.

Lusa

  • Novo Banco vai reestruturar dívida de Luís Filipe Vieira
    1:22

    Desporto

    O Novo Banco vai reestruturar parte da dívida da empresa de Luís Filipe Vieira, que ronda os 400 milhões de euros. Parte dos ativos da empresa foram transferidos para um fundo para serem rentabilizados no prazo de cinco anos. Esse fundo está a ser gerido pelo vice-presidente do Benfica.

  • Dono de fábrica que ardeu na Anadia diz que produção não vai ser afetada
    2:04
  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espírito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espírito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Tragédia em Vila Nova da Rainha aconteceu há uma semana
    7:18
  • Doze meses de polémicas, ameaças e promessas
    3:52