sicnot

Perfil

Mundo

Ataque à base da ONU no Mali faz 5 mortos e 30 feridos

Pelo menos cinco elementos da força de manutenção de paz da ONU no Mali morreram e cerca de 30 ficaram feridos num ataque a uma base da organização no norte do país, anunciou hoje o secretário-geral, Ban Ki-moon.

Os mais recentes ataques evidenciaram a vulnerabilidade da árida região norte daquele país da África Ocidenta.

Os mais recentes ataques evidenciaram a vulnerabilidade da árida região norte daquele país da África Ocidenta.

Baba Ahmed

Os mais recentes ataques evidenciaram a vulnerabilidade da árida região norte daquele país da África Ocidental

Os mais recentes ataques evidenciaram a vulnerabilidade da árida região norte daquele país da África Ocidental

© Adama Diarra / Reuters

O responsável máximo das Nações Unidas condenou "o complexo ataque" à base de Kidal e recordou que atacar missões de manutenção de paz constitui um crime de guerra.

Os mais recentes ataques evidenciaram a vulnerabilidade da árida região norte daquele país da África Ocidental, onde os capacetes azuis e os soldados malianos estão a tentar combater os 'jihadistas' que se apropriaram de vastas parcelas do território em 2012.

O porta-voz da ONU Stephane Dujarric disse que alguns dos capacetes azuis mortos eram da Guiné-Conacri e que "poderá haver outras nacionalidades envolvidas".

O 'raid' coincidiu com uma visita à região de Mahamat Saleh Annadif, o novo chefe da missão da ONU no Mali, conhecida como MINUSMA, que começou a percorrer o norte na segunda-feira.

Lusa

  • A menina síria que relata a guerra no Twitter está bem, diz o pai

    Mundo

    Bana Alabed, a menina síria de 7 anos que conta no Twitter a luta pela sobrevivência e os horrores da guerra em Alepo, teve de abandonar a sua casa que foi bombardeada mas está bem, disse hoje o seu pai à Agência France Press. A conta esteve fechada domingo, mas foi entretanto reativada e tem hoje uma nova publicação de Bana.

  • Parkinson pode ter início nos intestinos

    Mundo

    Um novo estudo científico vem revelar que a doença de Parkinson pode não estar apenas no cérebro. A doença pode ter início nos intestinos e mais tarde migrar para o cérebro.