sicnot

Perfil

Mundo

Congresso dos EUA aprova sanções mais duras contra a Coreia do Norte

O Congresso norte-americano aprovou hoje um endurecimento das sanções contra a Coreia do Norte, quase uma semana depois de Pyongyang ter anunciado a colocação de um satélite em órbita através do lançamento de um míssil de longo alcance.

Pyongyang anunciou há quase uma semana a colocação de um satélite em órbitra através do lançamento de um míssil de longo alcance.

Pyongyang anunciou há quase uma semana a colocação de um satélite em órbitra através do lançamento de um míssil de longo alcance.

© KYODO Kyodo / Reuters

As sanções foram aprovadas pela Câmara dos Representantes (câmara baixa do Congresso) quase por unanimidade: 408 votos favoráveis e dois votos contra.

O novo texto, proposto também em resposta ao teste nuclear com uma bomba de hidrogénio realizado pelos norte-coreanos a 06 de janeiro, endurece o regime das sanções norte-americanas, tornando obrigatórias medidas que eram anteriormente deixadas ao critério do Presidente norte-americano.

O documento prevê sanções a qualquer pessoa ou entidade que colabore com o regime de Pyongyang, nomeadamente na aquisição de bens, tecnologia, serviços ou atividades de aconselhamento relacionados com o fabrico de armas de destruição em massa, mas também que estejam relacionados com a prática de abusos dos Direitos Humanos.

Estas sanções incluem a apreensão de bens, a proibição de vistos e a recusa de contratos com o governo federal dos Estados Unidos.

Uma maioria de dois terços na Câmara dos Representantes era necessária para a aprovação deste novo texto, que os senadores adotaram por unanimidade na quarta-feira.

O diploma segue agora para a Casa Branca para ser assinado pelo Presidente Barack Obama.

Desde que iniciou os testes nucleares, em 2006, o regime norte-coreano tem sido alvo de várias sanções internacionais e norte-americanas. Medidas que seriam mantidas ou reforçadas ao longo dos últimos anos, uma vez que Pyongyang realizou outros testes em 2009 e 2013.

O presidente da comissão dos Assuntos Estrangeiros do Senado (câmara alta do Congresso), o republicano Bob Corker, reconheceu a hipótese de empresas chinesas virem a ser afetadas por estas novas medidas.

"O objetivo não é punir a China", afirmou Corker, em declarações à agência noticiosa francesa AFP.

"Mas, se existem entidades que ajudam , e nós sabemos que existem, elas serão punidas", afirmou o republicando, pedindo à administração Obama (democrata) para ser intransigente nesta matéria.

Lusa

  • Michelle Obama partilhou momento de despedida da Casa Branca
    1:43
  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Trabalhadores da saúde iniciam greve nacional

    País

    Trabalhadores da saúde estão esta sexta-feira a cumprir uma greve a nível nacional para reivindicar a admissão de novos profissionais, exigir a criação de carreiras e a aplicação das 35 horas semanais a todos os funcionários do setor.

  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Juiz brasileiro morto em acidente aéreo investigava corrupção na Petrobras
    1:28
  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.