sicnot

Perfil

Mundo

Coreia do Sul alerta Norte para ilegalidade do congelamento de bens de empresas

A Coreia do Sul acusou hoje a Coreia do Norte de agir "ilegalmente" ao congelar os bens das empresas sul-coreanas e dos trabalhadores expulsos do complexo industrial partilhado de Kaesong.

© Kim Hong-Ji / Reuters

O ministro da Unificação de Seul, Hong Yong-Pyo, afirmou que a decisão de Pyongyang de expulsar as empresas sul-coreanas foi "muito lamentável", acrescentando que o Norte tem de se responsabilizar pelas consequências.

Na quinta-feira, a Coreia do Norte anunciou que ia fechar totalmente Kaesong e que ia colocar o complexo sob controlo militar.

Todos os sul-coreanos que trabalhavam no local, localizado na Coreia do Norte, a dez quilómetros da fronteira, foram expulsos, sendo apenas autorizados a levar consigo bens pessoais.

O regime de Kim Jong-un ordenou também um "total congelamento" de todos os bens deixados para trás, incluindo matérias-primas, produtos e equipamento.

Pyongyang justificou as medidas com a decisão de Seul no dia anterior de suspender as operações das 124 empresas sul-coreanas em Kaesong -- uma resposta aos recentes teste nuclear e lançamento de míssil de longo alcance pelo Norte.

"A Coreia do Norte expulsou o nosso pessoal quase sem aviso, impediu-os de levar produtos terminados e congelou ilegalmente bens valiosos", disse Hong.

O ministro condenou também a "medida extrema e injustificada" tomada por Pyongyang ao cortar as duas únicas linhas de comunicação com o Sul.

"A Coreia do Norte vai ter de assumir a responsabilidade pelo que acontecer daqui para a frente", rematou.

Lusa

  • Marido de idosa que morreu na Sertã teve de caminhar durante duas horas para pedir ajuda
    1:44

    País

    A Altice garantiu esta sexta-feira que tentou agendar, por duas vezes, a reposição da linha telefónica na casa da idosa da Sertã, que morreu na semana passada por não ter comunicações que permitissem um socorro rápido. A mulher sentiu-se mal e o marido teve de caminhar durante duas horas para conseguir chegar à casa do vizinho mais próximo e pedir ajuda.

  • "No meu bairro perguntam-me se a medalha é de ouro e dizem que ma vão roubar e vender"
    4:46
  • Como é que alguém (Rúben Semedo) com tanto pode perder tudo?
    3:05