sicnot

Perfil

Mundo

Dois ataques no Mali matam seis capacetes azuis e três soldados malianos

Dois ataques separados causaram sexta-feira a morte a seis capacetes azuis e três soldados malianos no norte do Mali, ação atribuída a grupos de milicianos que intensificaram a atividade na região.

(Arquivo)

(Arquivo)

Sunday Alamba / AP

Um sexto capacete azul guineense faleceu em resultado dos ferimentos depois de um ataque, durante a manhã, a um campo da Missão da ONU no Mali (Minusma), em Kidal, no nordeste do país, revelou sexta-feira à noite à agência noticiosa AFP um dirigente do contingente guineense na Minusna e uma fonte militar guineense em Conacri.

Antes, um porta-voz do secretário-geral da ONU, Ban ki-Moon, tinha informado a existência de 30 feridos.

Estes ataques "não enfraquecerão a determinação das Nações Unidas em apoiar o governo maliano, as partes signatárias do acordo de paz e o povo maliano nos seus esforços para alcançar uma paz e uma estabilidade durável", assegurou Ban Ki-moon, referindo-se ao acordo assinado em maio de 2015 pelo governo e a ex-rebelião tuaregue.

Lusa

  • Confirmados dois novos casos de legionella

    Legionella

    Dois novos casos de legionella foram esta quarta-feira confirmados. A informação foi avançada em comunicado pela Direção-Geral da Saúde. Tratam-se de duas pessoas com mais de 80 anos, internadas no Hospital São Francisco Xavier e no Egas Moniz, ambas em situação clínica estável.

  • Quem é o novo Presidente do Zimbabué?
    2:15

    Mundo

    Emmerson Mnangagwa é o sucessor de Robert Mugabe que regressou esta quarta-feira da África do Sul, onde estava refugiado. No primeiro discurso, o Presidente do Zimbabué falou de uma nova democracia no país. Mnangagwa, conhecido como crocodilo, é suspeito de atrocidades na guerra civil pós-independência. 

  • Diminuem as hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino
    3:09

    Mundo

    As hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino, desaparecido há 8 dias, começaram a diminuir, uma vez que o chamado "tempo de segurança" já foi ultrapassado. A Marinha portuguesa está a acompanhar o caso do submarino que está desaparecido há oito dias. As hipóteses de salvar os tripulantes vão diminuindo.

  • Comprar um carro em segunda mão sem ser enganado 
    8:44
  • O que aprendemos com secas anteriores?
    32:50