sicnot

Perfil

Mundo

Papa e patriarca ortodoxo concordam em cooperar na defesa do cristianismo

O papa Francisco e o patriarca ortodoxo russo Kiril concordaram esta sexta-feira com a possibilidade de católicos e ortodoxos cooperarem na defesa do cristianismo, depois de um encontro no aeroporto de Cuba.

© POOL New / Reuters

"Os resultados do encontro permitiram assegurar que atualmente as duas igrejas podem cooperar para defender o cristianismo no mundo", afirmou o patriarca da igreja ortodoxa russa.

O Papa Francisco afirmou, por seu lado, que ambos coincidiram que na "unidade se faz o caminho".

Francisco e Kiril realizaram hoje um encontro de cerca de duas horas no salão do protocolo do aeroporto de Havana, o primeiro entre os primados da igreja católica e ortodoxa desde a cisma (dissidência religiosa) de 1054.

"Tivemos uma discussão aberta, com pleno entendimento da responsabilidade das nossas igrejas com o nosso povo, o futuro do cristianismo e o futuro da civilização humana", indicou Kiril, depois de assinar com o papa Francisco uma declaração conjunta.

O patriarca russo disse também que ambos conversaram com "pleno sentido de responsabilidade e intenção de trabalhar em conjunto para terminar com as guerras e para que a vida humana se respeite em todo o mundo".

O papa Francisco referiu que o encontro com o patriarca ortodoxo terminou com uma "série de iniciativa" que considera "viáveis e possíveis de realizar" e agradeceu a "humildade fraterna" de Kiril.

Francisco agradeceu também a Cuba e ao povo cubano pela "disponibilidade ativa".

"Cuba será a capital da unidade", acrescentou o papa, que segue viagem para o México.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras