sicnot

Perfil

Mundo

Ex-primeiro ministro israelita começa a cumprir pena de 19 meses

O ex-primeiro-ministro israelia, Ehud Olmert chega à prisão, esta segunda-feira, para cumprir 19 meses de pena.

Ehud Olmert, de 70 anos, acusado de suborno e obstrução à justiça, é o primeiro chefe de governo a cumprir pena de prisão.

O Supremo Tribunal israelita confirmou, em dezembro, uma decisão de um Tribunal de Jerusalém, que o sentenciara a uma pena de prisão efetiva.

Com efeito, a máxima instância judicial israelita reduziu a pena inicial, de seis anos para 19 meses de prisão, após a morte de uma testemunha crucial, que não pôde ser interrogada, pelo que Ehud Olmert foi condenado por um crime de suborno menor.

A pena surge após o chamado caso "Holyland", um escândalo imobiliário ocorrido em Jerusalém quando era presidente da câmara (1993-2003), que o obrigou a demitir-se do cargo de chefe do Executivo em 2008.

No entanto, a essa pena foi acrescentada, na semana passada, mais um mês de prisão por obstrução à justiça.

Chefe de governo de 2006 à 2009, Olmert sucedeu no cargo a Ariel Sharon, afastado na sequência de um acidente vascular-cerebral que o deixou em estado vegetativo até à morte em janeiro do ano passado.

Com Lusa

  • Ex-Presidente de Israel Shimon Peres internado de urgência
    0:47

    Mundo

    O antigo presidente israelita Shimon Peres foi internado de urgência. O ex-chefe de Estado, de 92 anos, foi transportado para um centro médico perto de Telavive, depois de ter sentido dores no peito. Shimon Peres está estável e preocupado em cumprir a agenda prevista para hoje, mas deverá ficar internado durante mais alguns dias, para observação. Segundo o seu médico pessoal, Raphi Walden, o ex-governante foi sujeito a um cateterismo cardíaco, encontrando-se consciente e estável.

  • Sporting de Braga eliminado da Liga Europa
    2:01
  • Dissolução da União Soviética aconteceu há 25 anos

    Mundo

    Assinalaram-se esta quinta-feira 25 anos desde o fim do acordo que sustentava a União Soviética. A crise começou em 80, mas aprofundou-se nos anos 90 com a ascensão de movimentos nacionalistas em praticamente todas as repúblicas soviéticas.