sicnot

Perfil

Mundo

Podemos insiste num referendo na Catalunha, a "linha vermelha" do PSOE

O Podemos voltou hoje ao exigir ao partido socialista espanhol, o PSOE, a realização de um referendo sobre a independência na Catalunha, num documento contra-proposta para reiniciar negociações para a formação de um governo.

Pablo Iglesias, secretário-geral do Podemos.

Pablo Iglesias, secretário-geral do Podemos.

© Juan Medina / Reuters

O partido de Pablo Iglesias (69 deputados) é fundamental para o PSOE formar governo em Espanha, já que os socialistas apenas somam 90 deputados e o partido que ganhou as eleições de 20 de dezembro, o PP (123 assentos), já afirmou que pretende votar contra um governo de coligação de esquerdas.

O Podemos afastou-se das negociações iniciadas pelo secretário-geral do PSOE, Pedro Sánchez, uma vez que os socialistas também procuraram o apoio do Ciudadanos (centro-direita, 40 deputados). Pablo Iglesias fez um "ultimato" a Sánchez: ou conta com o Podemos ou com o Ciudadanos, não poderá ter os dois.

No entanto, no dia em que o presidente do Congresso dos Deputados agendou o dia 2 de março para a primeira votação de investidura de Sánchez, Iglesias tentou retomar a iniciativa, apresentando um programa de 98 páginas com as linhas de negociação do seu partido para um eventual governo de esquerda.

A 22 de janeiro, Iglesias tinha proposta aos socialistas um governo de coligação PSOE-Podemos-Izquierda Unida (IU) com a vice-presidência e pelo menos cinco ministérios para o seu partido. O PSOE - que preferiria formar governo sozinho com acordos de apoio parlamentar - recusou falar dessa possibilidade, preferindo discutir "políticas e não distribuição de lugares".

No entanto, no documento de hoje consta como imprescindível a realização de um referendo sobre a autodeterminação da Catalunha, uma das linhas vermelhas do PSOE e do seu máximo órgão entre congressos, o Comité Federal, no qual têm assento os principais "barões regionais" socialistas.

Ou seja, basta que o Podemos não levante apenas este obstáculo e Pedro Sánchez já não tem mandato do seu próprio partido para negociar com Iglesias.

O Podemos não só propõe um referendo como o prevê ao abrigo do artigo 92 da atual Constituição, ou seja, sem reformar a lei fundamental, como quer o PSOE.

"A pergunta deste referendo deve ser única e clara e ter como objetivo fixar a posição da cidadania catalã sobre o futuro político da Catalunha", especifica-se no programa.

Por outro lado, o programa do Podemos também propõe uma reforma da estrutura do governo, com o vice-presidente - cargo que o Iglesias reivindica para si mesmo - a controlar toda a comunicação do executivo, o Boletim Oficial do Estado (o equivalente ao português Diário da República) e o órgão estatal de sondagens (o CIS) e, mais importante. Por último, e mais importante, na divisão de poderes, o Podemos controlaria os serviços de serviços secretos e espionagem do Estado.

Um porta-voz do PSOE já respondeu a Iglesias sobre esta proposta, afirmando que o líder do Podemos "esqueceu-se de qual é o seu lugar". Vários dirigentes socialistas têm vindo a afirmar que as posições do Podemos têm visado humilhar o PSOE e são contra-producentes no que toca a um eventual acordo.

Lusa

  • 60 milhões de crianças com menos de 5 anos vão morrer entre 2017 e 2030

    Mundo

    Cerca de 15 mil crianças com menos de cinco anos morreram em 2016 em todo o mundo, e 46% destas morreram nos primeiros 28 dias de vida, segundo um relatório divulgado na quarta-feira pela Unicef. Apesar de se ter registado uma descida da mortalidade nos primeiros cinco anos de vida, de 9,9 milhões de mortes em 2000 para 5,6 milhões em 2016, a proporção de recém-nascidos entre os falecidos aumentou de 41% para 46% neste período.

  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15

    Opinião

    José Gomes Ferreira diz que as pessoas que ateiam fogo nas florestas sabem "estudar os dias e o vento para arder o máximo possível". Em entrevista no Jornal da Noite, o diretor-adjunto de Informação da SIC, fala na importância de haver uma auditoria para tentar perceber o porquê de haver tantas ignições e saber se há alguém que ganhe com esta vaga de incêndios. 

    José Gomes Ferreira

  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.