sicnot

Perfil

Mundo

Podemos insiste num referendo na Catalunha, a "linha vermelha" do PSOE

O Podemos voltou hoje ao exigir ao partido socialista espanhol, o PSOE, a realização de um referendo sobre a independência na Catalunha, num documento contra-proposta para reiniciar negociações para a formação de um governo.

Pablo Iglesias, secretário-geral do Podemos.

Pablo Iglesias, secretário-geral do Podemos.

© Juan Medina / Reuters

O partido de Pablo Iglesias (69 deputados) é fundamental para o PSOE formar governo em Espanha, já que os socialistas apenas somam 90 deputados e o partido que ganhou as eleições de 20 de dezembro, o PP (123 assentos), já afirmou que pretende votar contra um governo de coligação de esquerdas.

O Podemos afastou-se das negociações iniciadas pelo secretário-geral do PSOE, Pedro Sánchez, uma vez que os socialistas também procuraram o apoio do Ciudadanos (centro-direita, 40 deputados). Pablo Iglesias fez um "ultimato" a Sánchez: ou conta com o Podemos ou com o Ciudadanos, não poderá ter os dois.

No entanto, no dia em que o presidente do Congresso dos Deputados agendou o dia 2 de março para a primeira votação de investidura de Sánchez, Iglesias tentou retomar a iniciativa, apresentando um programa de 98 páginas com as linhas de negociação do seu partido para um eventual governo de esquerda.

A 22 de janeiro, Iglesias tinha proposta aos socialistas um governo de coligação PSOE-Podemos-Izquierda Unida (IU) com a vice-presidência e pelo menos cinco ministérios para o seu partido. O PSOE - que preferiria formar governo sozinho com acordos de apoio parlamentar - recusou falar dessa possibilidade, preferindo discutir "políticas e não distribuição de lugares".

No entanto, no documento de hoje consta como imprescindível a realização de um referendo sobre a autodeterminação da Catalunha, uma das linhas vermelhas do PSOE e do seu máximo órgão entre congressos, o Comité Federal, no qual têm assento os principais "barões regionais" socialistas.

Ou seja, basta que o Podemos não levante apenas este obstáculo e Pedro Sánchez já não tem mandato do seu próprio partido para negociar com Iglesias.

O Podemos não só propõe um referendo como o prevê ao abrigo do artigo 92 da atual Constituição, ou seja, sem reformar a lei fundamental, como quer o PSOE.

"A pergunta deste referendo deve ser única e clara e ter como objetivo fixar a posição da cidadania catalã sobre o futuro político da Catalunha", especifica-se no programa.

Por outro lado, o programa do Podemos também propõe uma reforma da estrutura do governo, com o vice-presidente - cargo que o Iglesias reivindica para si mesmo - a controlar toda a comunicação do executivo, o Boletim Oficial do Estado (o equivalente ao português Diário da República) e o órgão estatal de sondagens (o CIS) e, mais importante. Por último, e mais importante, na divisão de poderes, o Podemos controlaria os serviços de serviços secretos e espionagem do Estado.

Um porta-voz do PSOE já respondeu a Iglesias sobre esta proposta, afirmando que o líder do Podemos "esqueceu-se de qual é o seu lugar". Vários dirigentes socialistas têm vindo a afirmar que as posições do Podemos têm visado humilhar o PSOE e são contra-producentes no que toca a um eventual acordo.

Lusa

  • O percurso dos rendimentos de Ronaldo
    3:43

    Desporto

    O Ministério das Finanças espanhol abriu uma investigação a Cristiano Ronaldo, por eventuais irregularides na declaração dos rendimentos da publicidade. A Gestifute, empresa do agente do avançado do Real Madrid, garante que Ronaldo tem os impostos em dia. A investigação aos documentos extraídos da plataforma informática Football Leaks, liderada pela revista alemã Der Spiegel, e da qual faz parte o jornal Expresso, conseguiu traçar o percurso dos rendimentos do melhor jogador do mundo.

  • Fábio Coentrão investigado por suspeita de delitos fiscais
    3:37

    Desporto

    O Ministério Público de Madrid acusou o defesa português Ricardo Carvalho de evasão fiscal e está a investigar Fábio Coentrão por eventuais delitos fiscais. Além dos dois portugueses a justiça acusou ainda o espanhol Xabi Alonso, o argentino Ángel Di María e investiga o colombiano Falcão. As investigações surgem depois da revelação do caso Football Leaks, investigada pelo Expresso e pelo consórcio europeu de jornalistas que tiveram acesso a milhões de documentos.

  • Mais cinco ilhas dos Açores sob aviso vermelho

    País

    O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) elevou esta quarta-feira para vermelho o aviso para as cinco ilhas do grupo central dos Açores, onde no Faial o vento atingiu os 150 quilómetros por hora.

  • Votações sobre o mapa judiciário geram tensão no Parlamento
    2:01

    País

    O momento das votações no Parlamento ficou marcado por alguma tensão. Depois de aprovadas, em comissão, as alterações ao mapa judiciário, o PSD opôs-se a que o diploma fosse votado em plenário, uma vez que não fazia parte da versão inicial do guião de votações. A esquerda acusou os sociais-democratas de terem motivações estritamente políticas e não regimentais.

  • Uma alternativa aos serviços de enfermagem ao domicílio
    7:34
  • As primeiras palavras de um dos sobreviventes da Chapecoense
    0:29
  • Familiares de vítimas procuram destroços do MH370
    1:48

    Voo MH370

    Um grupo de familiares das vítimas do avião das linhas aéreas da Malásia, desaparecido em 2014, procuram destroços do aparelho em Madagáscar. As autoridades malaias estudam a posssibilidade de uma nova operação de buscas.

  • Primeiro-ministro em lágrimas ao reencontrar refugiado que recebeu no Canadá em 2015

    Mundo

    Justin Trudeau desfez-se em lágrimas no reencontro com um refugiado sírio, que ele recebeu no Canadá em 2015. No ano passado, Trudeau recebeu pessoalmente os refugiados no aeroporto, onde foi visto a entregar casacos de inverno aos migrantes. Esta segunda-feira, o primeiro-ministro conheceu algumas das famílias que se estabeleceram no país, numa reunião filmada pela emissora canadiana CBC.