sicnot

Perfil

Mundo

Agência Espacial Europeia lança terceiro satélite para melhorar gestão ambiental

O programa europeu Copérnico, de observação da Terra, lançou o seu terceiro satélite, o Sentinel-3A, com o objetivo de recolher dados sobre oceanos, lagos e rios, para melhorar a gestão ambiental.

(Arquivo)

(Arquivo)

© NASA NASA / Reuters

O lançamento do satélite ocorreu às 17:57 (hora de Lisboa) do cosmódromo russo de Plesetsk, a bordo de um foguete Rockot, e o primeiro sinal de que o satélite estava vivo foi recebido pela antena de Kiruna (Suécia) pouco depois das 19:30 (horas de Lisboa).

O Sentinel-3A é o satélite dos oceanos e tem capacidade para medir a altura, a temperatura e a cor da superfície (determinando a concentração de algas e de fitoplâncton, assim como a espessura das plataformas de gelo.

Aquelas medidas vão permitir monitorizar mudanças ao nível do mar, da contaminação ou a produtividade biológica dos oceanos.

O satélite também tem capacidade para cartografar os terrenos, bem como obter índices de vegetação, medir as alturas de rios e lagos e detetar incêndios florestais desde o espaço.

Os dados vão ser distribuídos de forma gratuita a usuários de todo o mundo e os relacionados com a superfície terrestre serão geridos pela Agência Espacial Europeia.

O principal objetivo da missão, além de radiografar o planeta, é melhorar a gestão ambiental e compreender os efeitos das alterações climáticas e garantir a segurança.

Lusa

  • Espanha e Portugal a um ponto dos oitavos

    Mundial 2018 / Irão

    A Espanha colocou-se esta quarta-feira a um ponto dos oitavos de final do Mundial 2018 e deixou Portugal em situação idêntica, ao vencer o Irão por 1-0, em jogo do grupo B, disputado em Kazan.

  • E vão quatro de Ronaldo
    1:58
  • "Ronaldos nascem na Rússia como cogumelos"
    1:49
  • Lançamento de balões no São João do Porto em risco

    País

    Lançar balões nas festas do São João do Porto pode não ser possível este ano, tudo irá depender das condições atmosféricas. A Secretaria de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural admitiu, esta quarta-feira, que está a acompanhar a situação mas que ainda nada está decidido.