sicnot

Perfil

Mundo

"El Chapo" diz que se sente um zombie na prisão

Um dos advogados diz que Joaquín "El Chapo" Guzmán sente que o estão a "transformar num zombie" na prisão do Altiplano, no Estado do México. Alegadamente, o narcotraficante não consegue dormir por ser chamado de duas em duas horas para uma revista.

© Henry Romero / Reuters

"El Chapo" foi recapturado no dia 8 de janeiro depois de ter fugido de prisão, e Juan Pablo Badillo, um dos seus defensores, explica que estão a acordá-lo de forma "estridente", o que está a originar uma situação "insuportável pela qual ele se sente torturado".

Segundo Badillo, Guzmán disse "estão-me a transformar num zombie, não me deixam dormir, o que quero mais do que qualquer coisa é que me deixem dormir".

Sendo assim, a defesa de "El Chapo" pede que se "suspenda imediatamente a infame e brutal tortura tortura física e mental" e avisam que não vão descansar enquanto o diretor da prisão foir preso, de acordo com o que noticia o Globo.

  • William e Kate apresentam o filho ao mundo
    1:42
  • Salah Abdeslam deixa cadeira vazia na leitura da sua sentença
    2:05

    Mundo

    O único suspeito vivo dos ataques de Paris em 2015 foi esta segunda-feira condenado a 20 anos de prisão por um tribunal belga, num processo paralelo: um tiroteio em março de 2016, em Bruxelas. Tanto Salah Abdeslam como o cúmplice não quiseram estar na leitura da sentença. O julgamento de Salah Abdeslam pelos ataques de Paris só deverá acontecer no próximo ano, em França.

  • Beyoncé e a irmã caem no Coachella e o vídeo torna-se viral

    Cultura

    Beyoncé voltou este fim de semana a subir ao palco do Coachella, depois de ter atuado na primeira semana do festival que decorreu no deserto da Califórnia, nos EUA. A cantora norte-americana voltou a brilhar, mas foi o momento em que caiu no palco com a irmã, Solange, que acabou por se tornar viral.

    SIC

  • Cientistas querem sequenciar genomas de 15 milhões de espécies

    Mundo

    Um consórcio internacional de cientistas, que por enquanto não inclui portugueses, propõe-se sequenciar, catalogar e analisar os genomas (conjuntos de informação genética) de 15 milhões de espécies, uma tarefa que levará dez anos a fazer, foi divulgado esta segunda-feira.