sicnot

Perfil

Mundo

Fracassa a moção de censura contra o Governo ucraniano

O Governo ucraniano, liderado por Arseni Yatseniuk, superou hoje no parlamento a moção de censura apoiada por muitos dos deputados da coligação governamental e recomendada pelo presidente do país, Petro Poroshenko.

Primeiro-ministro ucraniano, Arseni Iatseniuk (Reuters)

Primeiro-ministro ucraniano, Arseni Iatseniuk (Reuters)

REUTERS

Um total de 194 deputados votou a favor do projeto de moção, mas eram necessários pelo menos 226 votos.

O primeiro-ministro, no entanto, sai fragilizado desta sessão parlamentar, já que menos de 300 deputados (de um total de 450) participaram na votação.

Além disso, grande parte dos deputados que apoiam a maioria governamental (pelo menos os presentes na sessão), e com a exceção da Frente Popular, de Yatseniuk, votou a favor da moção de censura.

Surpreendentemente, a maioria dos deputados do pró-russo Bloco Opositor deixou a sala antes da votação.

"Os resultados da votação de hoje, que não levaram à demissão do governo, deixaram, contudo, claro que o Governo não tem o apoio do parlamento, nem pode avançar com projetos de lei", disse Yuri Lutsenko, líder da oposição.

Nos termos da legislação ucraniana, a próxima moção de censura só pode ser apresentada a partir de setembro, quando o parlamento reiniciar a sua atividade após as férias de verão.

Um pouco antes, o Presidente da Ucrânia recomendara ao Governo que se demitisse, por a "sociedade ter retirado a confiança" ao seu gabinete.

"A sociedade decidiu, claramente, que houve mais erros do que decisões acertadas. E é claro que as reformas só podem ser realizadas por um Governo que tenha a confiança dos cidadãos. Para restaurar a confiança, não basta terapia, é necessária cirurgia", disse Poroshenko num discurso à nação.

Por seu lado, falando durante a apresentação dos relatórios anuais da administração do Governo, Yatseniuk sublinhou não ter intenção de renunciar e disse que o seu executivo "está pronto" para continuar a trabalhar sobre as reformas de que o país necessita.

Lusa

  • Traço contínuo às curvas
    2:42
  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • Cristas calcula défice de 3,7% sem "cortes cegos" das cativações
    0:45

    Economia

    Assunção Cristas diz que o défice de 2,1% só foi conseguido porque o Governo fez cortes cegos na despesa pública. Esta manhã, depois de visitar uma unidade de cuidados continuados em Sintra, a presidente do CDS-PP afirmou que, pelas contas do partido, sem cativações, o défice estaria nos 3,7%.

  • Reservas de viagens na Páscoa e no verão aumentaram
    1:19

    Economia

    As reservas de viagens no período da Páscoa e do verão aumentaram este ano, tanto para o estrangeiro como para dentro de Portugal. O Algarve, a Madeira e os Açores continuam a ser os destinos de eleição. Os portugueses estão também a marcar férias com mais antecedência, uma das receitas para conseguir melhores preços.

  • Escada rolante inverte sentido e varre dezenas de pessoas
    1:15
  • Sol influencia alterações climáticas na Terra

    Mundo

    As flutuações da atividade solar têm um efeito sobre o clima da Terra, concluiu um estudo de investigadores suíços, que conseguiu, pela primeira vez, estimar a influência do Sol no aquecimento do planeta.