sicnot

Perfil

Mundo

Rússia nega ataque a hospitais síros e acusa coligação internacional

A Rússia "recusa categoricamente" a acusação de que bombardeou hospitais na Síria, um dos quais apoiado pelos Médicos Sem Fronteiras, e responsabiliza a coligação internacional pelo ataque, afirmou hoje o porta-voz da presidência russa, Dmitri Peskov.

reuters

"Recusamos categoricamente e não aceitamos essas declarações", respondeu Peskov a uma pergunta sobre se aviões russos bombardearam na segunda-feira dois hospitais na Síria.

"Aqueles que fazem essas alegações são sempre incapazes de prová-las", acrescentou.

"Neste caso, há que ter em conta o que diz a fonte primária, que para nós são as autoridades sírias", disse Peskov, referindo-se a declarações do embaixador sírio em Moscovo, Riad Hadad, que acusou a coligação internacional do ataque ao hospital.

O hospital de Maarat al-Nuaman, no norte da Síria, apoiado pela MSF, "foi destruído na realidade pelas forças aéreas dos Estados Unidos", disse o embaixador à televisão russa na segunda-feira.

O Observatório Sírio dos Direitos Humanos responsabilizou as forças russas pelos ataques, afirmando determinar os autores de ataques -- sírios, russos ou da coligação internacional liderada pelos Estados Unidos - com base no local do ataque, padrões de voo e tipo de avião.

  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.