sicnot

Perfil

Mundo

Sarkozy de novo em tribunal por financiamento da campanha de 2012

O antigo Presidente francês Nicolas Sarkozy apresentou-se hoje num tribunal de Paris para ser ouvido pelos juízes de instrução no âmbito das irregularidads no financiamento da sua campanha para as presidenciais de 2012.

Antigo presidente francês, Nicolas Sarkozy.

Antigo presidente francês, Nicolas Sarkozy.

© Stephane Mahe / Reuters


Não há indicações sobre se o antigo chefe de Estado (2007-2012) pode sair acusado da audiência em que está em causa a alegada falsa contabilidade da sua candidatura a um segundo mandato, que lhe permitiu exceder os limites de despesa.

Os meios de comunicação franceses mostraram imagens de Sarkozy no interior de um carro antes de comparecer diante da justiça no âmbito do caso "Bygmalion", que deve o seu nome a uma empresa de comunicação que emitiu falsas faturas de 18,5 milhões de euros para que a União por um Movimento Popular (UMP), principal força de direita, assumisse gastos que na verdade correspondiam à campanha eleitoral.

O esquema teria como objetivo evitar ultrapassar o máximo legal das despesas das campanhas, fixado em 16,8 milhões de euros para as candidaturas da primeira volta e 21,5 milhões para as da segunda.

Sarkozy perdeu essas eleições para o socialista François Hollande, atual Presidente da França.

  • Caixa multibanco assaltada em Portugal a cada dois dias
    2:43

    País

    O semanário Expresso conta que a mulher que morreu vítima de um disparo de agentes da PSP foi atingida pelas costas. O caso está a ser investigado pela PJ, que procura encaixar as peças da noite que acabou com uma morte inocente mas que começou com uma perseguição a um grupo de assaltantes de um multibanco. Assaltos que são cada vez mais comuns e que preocupam o Governo. A cada dois dias, uma caixa é assaltada.

  • Metro de Lisboa vai reduzir consumo de água

    País

    O Metro de Lisboa colocou em prática um programa para reduzir o consumo de água devido à situação de seca em Portugal, respondendo assim ao apelo do Ministério do Ambiente, segundo um comunicado divulgado este sábado.