sicnot

Perfil

Mundo

Dote dispara na China rural

O dote de casamento, pré-requisito essencial para selar o matrimónio na China rural, tem-se tornado um encargo demasiado grande para as famílias face à crescente exigência das noivas, segundo uma reportagem publicada num jornal estatal.

O dote de casamento, pré-requisito essencial para selar o matrimónio na China rural, tem-se tornado um encargo demasiado grande para as famílias face à crescente exigência das noivas, segundo uma reportagem publicada num jornal estatal.

O dote de casamento, pré-requisito essencial para selar o matrimónio na China rural, tem-se tornado um encargo demasiado grande para as famílias face à crescente exigência das noivas, segundo uma reportagem publicada num jornal estatal.

© Aly Song / Reuters

Em Xincai, aldeia rural da província de Henan, o 'preço de uma esposa' disparou nos últimos cinco anos de 66.000 yuan (9.000 euros) para mais de 100.000 yuan (13.750 euros), relata o Global Times.

"Em média, as famílias locais ganham apenas alguns milhares de yuan por ano na agricultura, pelo que juntar dinheiro para o dote leva muito tempo", explica aquele diário do Partido Comunista Chinês (PCC).

A escalada dos preços levou muitos homens a procurar trabalho nas prósperas cidades do litoral, como forma de amealhar dinheiro que baste para 'seduzir' as moças da terra.

No entanto, "muitos descobrem ao regressar que o que ganharam é insuficiente para encontrar uma mulher", lê-se no artigo.

Uma família de Xincai, por exemplo, terá já oferecido à pretendida do seu filho 20.000 yuan (2.750 euros) em prendas monetárias, mas ela "continua livre de se encontrar com outros homens", conta o Global Times.

"A única forma de selar o acordo é oferecer um montante avultado", acrescenta o jornal.

Mas o dote é apenas a última parcela de um investimento maior: primeiro, é necessário comprar uma casa; e a seguir obter os "três objetos dourados" - anéis, um colar e brincos de ouro.

Um residente de Xincai, identificado pelo Global Times como Xu, já fez as contas: "Encontrar uma nora leva muitas famílias à falência".

A 'vantagem negocial' das mulheres é também resultado de persistentes "tradições feudais" e três décadas da política de filho único, que geraram um excedente de 33 milhões de homens na China.

As estatísticas oficiais falam por si: no final de 2014, a China tinha cerca de 700 milhões de homens e 667 milhões de mulheres e a diferença, à nascença, era de 115,8 rapazes por 100 raparigas.

Segundo a tradição chinesa, são os pais que transmitem o nome da família à geração seguinte, enquanto o apelido das mães não passa para os filhos.

Como resultado, a maioria dos abortos feitos no país - 336 milhões desde 1971, segundo dados oficiais chineses - ocorreram com fetos do sexo feminino.

  • Senegal surpreende e vence a Polónia por 2-1

    Mundial 2018 / Polónia

    O Senegal venceu hoje a Polónia por 2-1 num jogo a contar para o grupo H do Mundial da Rússia. Na primeira parte, os "leões de Teranga" beneficiaram de um golo na própria baliza marcado por Thiago Cionek aos 37 minutos. A vantagem no marcador veio trazer estabilidade ao Senegal que conseguiu firmar a superioridade com um golo de M´Baye Niang aos 60 minutos. Perto do final do jogo, o polaco Grzeg Krychowiak marcou na baliza de Khadim N'Diaye, mas foi insuficiente para derrotar o Senegal.

  • Japão ganha nova esperança ao derrotar a Colômbia (2-1)

    Mundial 2018 / Colômbia

    No primeiro jogo do grupo H, a Colômbia foi derrotada pelo Japão. Um dos momentos altos do jogo aconteceu logo ao minuto 4 quando, na sequência de uma falta de Carlos Sanchez, o árbitro assinalou um penálti a favor da equipa japonesa. O colombiano levou um cartão vermelho, depois de ter intercetado um remate do Japão com a mão. Apesar da desvantagem numérica, a Colômbia iguala o marcador aos 39 minutos com um livre de Quintero. Contudo, Yuya Osako colocou o Japão novamente em vantagem aos 73 min.

  • Achilles, o gato que adivinha os resultados do Mundial
    0:44

    Desporto

    Depois do polvo Paul no Mundial de 2010 e do elefante Zella no Europeu de 2016, este ano, o gato Achilles é o adivinho dos jogos do Mundial na Rússia. O felino acertou na vitória da Rússia frente à Arábia Saudita e já fez a aposta para a partida entre os russos e o Egipto, que decorre esta terça-feira, a partir das 19:00.

  • Hospitais públicos à beira da rutura
    2:28
  • Repitam comigo: Portugal vai ser campeão do Mundo
    4:56
  • OMS inclui dependência dos videojogos na lista de doenças mentais

    Mundo

    A Organização Mundial de Saúde (OMS) incluiu a dependência de videojogos na lista de doenças mentais, uma possibilidade que tinha sido prevista no início do ano e que foi anunciada esta segunda-feira. Este pode ser mais um argumento para os pais limitarem o tempo de acesso dos filhos às consolas, computadores e todos os dispositivos com videojogos.

    SIC

  • "Estou a ser posta porta fora (...) faço o que vocês me disserem"
    2:43
  • Morreu o orangotango mais velho do mundo

    Mundo

    O orangotango mais velho do mundo morreu aos 62 anos no jardim zoológico de Perth, no norte da Austrália, deixando 54 descendentes, anunciou esta terça-feira a instituição.

  • Milionários aumentam... e as suas fortunas também

    Mundo

    O número de milionários mundiais cresceu em 2017 e o seu nível de riqueza aumentou pelo sexto ano consecutivo, ultrapassando pela primeira vez os 70 biliões de dólares (60,5 biliões de euros), segundo um estudo divulgado esta terça-feira.