sicnot

Perfil

Mundo

Maduro diz que Venezuela está a ser bloqueada financeiramente a partir do estrangeiro

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, considerou hoje que a Venezuela está a ser bloqueada financeiramente a partir do estrangeiro e acusou a oposição de ter instalado «um sistema de pressão contra o povo».

Fernando Llano

«A Venezuela tem um bloqueio financeiro internacional. Nem refinanciam um processo de melhoria das condições da dívida e procuram condições leoninas para emprestar-nos uma divisa, um dólar», disse.

Nicolás Maduro falava em Caracas, no palácio presidencial de Miraflores, durante uma reunião de ministros, transmitida pelas rádios e televisões do país, em que fez um balanço da Agenda Económica Bolivariana para enfrentar a crise venezuelana.

«Há um só poder neste mundo que pode dirigir as peças de uma guerra financeira contra a República (...) não digo mais, que cada um tire as suas conclusões», disse.

Nicolás Maduro referiu que se trata de «um sistema de boicote nacional e internacional, de guerra económica, que tem o propósito de derrotar, fazer ajoelhar a Venezuela, apoderar-se das riquezas e voltar a controlar o país».

Nicolás Maduro vincou que a emergência económica venezuelana «é verdadeira» e «penetrou profundamente» na Venezuela, lamentando que a aposição «tenha voltado as costas ao país» ao chumbar, recentemente, o decreto de emergência económica, ratificando com essa atitude «uma agenda de guerra».

«Eles (oposição) subverteram o sistema de distribuição (de produtos) do país, a comercialização e o estabelecimento de preços dos produtos (...) instalaram um sistema de pressão contra o povo e agora a Venezuela tem um bloqueio financeiro internacional».

Maduro culpou o «imperialismo» pela queda das receitas petrolíferas do país.

«Impôs-se a estratégia imperial da guerra ao petróleo (...) Uma guerra mundial que tem procurado destruir a OPEP (Organização dos Países Exportadores de Petróleo), tirar-lhe a autoridade de regular o mercado», disse.

Lusa

  • Luís Pina indiciado por quatro crimes de tentativa de homicídio
    1:41
  • Líderes europeus unidos para iniciar saída do Reino Unido
    2:08
  • Corrida à Agência Europeia Medicamento "não é fácil", admite Costa
    0:50

    Brexit

    António Costa confirmou a apresentação da candidatura para a transferência da agência europeia do medicamento de Londres para Portugal. À margem da cimeira extraordinário sobre o Brexit, o primeiro-ministro salientou a importância da instalação do instituto no país para reforçar a competitividade no setor