sicnot

Perfil

Mundo

Milhares de mulheres aborígenes desaparecidas nas últimas décadas no Canadá

Estima-se que cerca de quatro mil mulheres aborígenes estejam desaparecidas ou tenham sido mortas, nos últimos 30 anos, no Canadá.

O primeiro-ministro canadiano ordenou o início de novas investigações e a renovação total das relações entre o governo e a população indígena

O primeiro-ministro canadiano ordenou o início de novas investigações e a renovação total das relações entre o governo e a população indígena

© Blair Gable / Reuters

O ministério dos Assuntos Indígenas avançou com o estes números que admitem ser superior ao inicialmente estimado.

No ano passado, um relatório das autoridades canadianas apontava para 1200 mulheres, um valor bastante contestado pelas famílias que afirmam que os casos da comunidade indígena não são tratados da mesma forma que o resto da população.

Em dezembro de 2015, o primeiro-ministro Justin Trudeau ordenou o início de novas investigações e a renovação total das relações entre o governo e a população indígena.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.