sicnot

Perfil

Mundo

ONU alerta para situação crítica na América Central devido a El Nino

O Escritório de Coordenação dos Assuntos Humanitários da ONU (OCHA) alertou hoje para a situação crítica dos países da América Central devido ao fenómeno meteorológico El Nino e pediu à comunidade internacional para ajudar as regiões afetadas.

© Stringer . / Reuters

"As regiões mais afetadas estão a colapsar e não têm meios para melhorar a situação. O El Nino é uma urgência alarmante a que devemos dar resposta quanto antes", assegurou em conferência de imprensa o diretor de operações da OCHA, John Ging, depois de visitar os territórios mais afetados.

John Ging explicou que a seca e as condições climáticas que têm de enfrentar os habitantes daquelas regiões estão a provocar a "marginalização e pobreza extremas", especialmente nas zonas rurais.

Os países mais afetados pelo El Nino são o Haiti, El Salvador, Nicarágua, Honduras e Colômbia.

É preciso a comunidade internacional "redobrar os esforços e doações" para diminuir a pobreza naquela região, pediu o responsável.

John Ging pediu também às associações e líderes mundiais que continuem a fazer donativos para atingirem o esforço financeiro que é necessário fazer para garantir as necessidades básicas naqueles territórios, nomeadamente comida, casa e saúde.

Lusa

  • Inverno de 2015 poderá ser marcado pelo regresso do El Nino
    3:14

    País

    O ano de 2015 poderá ser marcado pelo regresso do El Nino, segundo especialistas. Ou seja, o próximo inverno pode trazer ainda mais problemas do que o deste ano, que tem sido anormalmente pródigo em tempestades com forte agitação marítima. A SIC foi tentar perceber os fenómenos que estiveram na base de tantas alterações no clima.

  • Três letras de Zeca Afonso

    Cultura

    No dia em que se assinalam 30 anos da morte de Zeca Afonso, Raquel Marinho, jornalista da SIC e divulgadora de poesia portuguesa contemporânea, escolhe três letras do cantor e autor para dizer, em forma de homenagem.

    Raquel Marinho

  • Cunhado do Rei de Espanha em liberdade sem caução

    Mundo

    Inaki Urdangarin vai mesmo aguardar o desenrolar do recurso em liberdade na Suíça, onde o marido da Infanta Cristina tem residência oficial e onde terá de se apresentar às autoridades uma vez por mês, para além de estar obrigado a comunicar qualquer deslocação fora da Europa. De fora fica ainda o pagamento da caução de 200 mil euros pedida pelo Ministério Público espanhol.