sicnot

Perfil

Mundo

Turquia bombardeia bases do PKK em retaliação por atentado de Ancara

A Força Aérea turca bombardeou hoje bases dos rebeldes do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) no Iraque em retaliação pelo atentado de quarta-feira com um carro-bomba, que matou 28 pessoas no centro de Ancara, anunciou o exército.

© Ahmed Saad / Reuters

Os bombardeamentos tiveram como alvo um grupo de 60 a 70 combatentes do PKK, incluindo oficiais, na zona de Haftanin, perto da fronteira com a Síria, precisou o comando militar no seu 'site' na internet.

O acampamento de Haftanin é uma das mais importantes bases dos rebeldes curdos nas montanhas do norte do Iraque.

Desde a retoma dos combates entre as forças de segurança turcas e o PKK no verão passado, os aviões de guerra turcos realizaram vários ataques contra os campos.

Após um cessar-fogo de mais de dois anos, os confrontos, com vítimas mortais, recomeçaram no verão passado entre as forças de segurança turcas e o PKK no sudeste da Turquia, uma região de maioria curda.

Os combates travaram as negociações de paz com o governo iniciadas no outono de 2012 e que pretendiam colocar um ponto final no conflito curdo, que fez mais de 40.000 mortos desde 1984.

O ataque de quarta-feira em Ancara ainda não foi reivindicado, mas o primeiro-ministro turco, Ahmet Davutoglu, já adiantou que o autor era um cidadão sírio.

"Este ataque terrorista foi cometido por elementos da organização terrorista PKK na Turquia e por um miliciano da Unidades de Proteção do Povo (YPG)", declarou Ahmet Davutoglu aos jornalistas, adiantando que a polícia já fez nove detenções no âmbito do inquérito aberto.

Lusa

  • Eurodeputados visitam campo de refugiados na Turquia
    2:26

    SIC Europa

    11 milhões de sírios foram obrigados a fugir do país. A maior parte perdeu tudo e centenas de milhares sobrevivem agora em campos de refugiados espalhados sobretudo pelo Líbano, Jordânia ou Turquia que está a ser financiada pela Comssão Europeia para conter o fluxo de refugiados. Para 2016 e 2017 Ancara vai receber 3 mil milhões de euros do orçamento comunitário.

  • Marcelo lembra como foi tratada a tragédia durante a ditadura
    2:25

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Marcelo Rebelo de Sousa não quis comentar diretamente a polémica em torno da lista das vítimas mortais de Pedrógão Grande, mas recorreu às cheias de 1967 para lembrar como as tragédias eram tratadas no tempo da ditadura. O Presidente da República defendeu que não é possível esconder a dimensão de uma tragédia num regime democrático. Há 50 anos, Marcelo Rebelo de Sousa acompanhou de perto a forma como o regime tentou esconder a verdadeira dimensão do incidente.

  • Ministra admite falhas no SIRESP no presente e no passado
    2:35

    País

    A ministra da Administração Interna admitiu, esta quinta-feira, que o SIRESP falha no presente tal como já falhou no passado, quando a tutela pertencia ao Governo PSD. Os sociais-democratas quiserem ouvir Constança Urbano de Sousa na comissão parlamentar mas desta vez a ministra defendeu-se com um ataque. 

  • À descoberta de Dago, o destroço mais visitado em mergulho de profundidade
    13:51
  • Uma viagem aérea pela aldeia histórica de Monsanto
    0:50
  • "Comecei por ajudar uma família que me pediu um plástico para se proteger"
    4:51
  • Quase três mil toneladas de plástico ameçam tartarugas no Mediterrâneo
    2:35

    Mundo

    O Mar Mediterrâneo está sob a ameaça de se tornar uma lixeira com três mil toneladas de plástico a flutuarem entre a Europa e África. Há milhões de turistas a nadarem nestas águas e há espécies marinhas que já estão em perigo. No Chipre, os cientistas estão a tentar proteger tartarugas, cuja alimentação já é quase totalmente de plástico.

  • Deputado da Malásia diz que negar sexo ao marido é uma forma de abuso

    Mundo

    Um deputado malaio tem sido alvo de algumas críticas na internet, depois de ter dito que negar sexo a maridos é uma forma de abuso psicológico e emocional por parte das mulheres. As declarações de Che Mohamad Zulkifly Jusoh foram feitas durante um debate sobre as alterações às leis de violência doméstica, na quarta-feira.

    SIC